Doulas

Doulas

Antigamente era mais fácil encontrar uma mulher em trabalho de parto acompanhada de sua mãe, irmãs ou mesmo amigas. Mas as famílias ficaram menores e mesmo dentro das maternidades, a assistência à mulher fica por conta de uma equipe especializada: obstetras, enfermeiros e pediatras, às vezes responsáveis somente pelo parto e o bebê.

Nesse momento tão íntimo e especial às mulheres é importante o suporte físico e emocional. Pensando nessa necessidade é que surgiram as doulas, mulheres responsáveis por dar atenção e carinho antes e durante o parto.

“Tentamos ao máximo deixá-lo humanizado com posições mais confortáveis, técnicas de respiração, massagem e relaxamento. Tudo para incentivar o parto normal e em casa”, explica Ana Cristina Duarte, doula e responsável pelo GAMA (Grupo de Apoio à Maternidade Ativa).

Durante a segunda gravidez, a bióloga não queria cesária, como aconteceu com o primeiro filho. Mas a experiência de ficar no hospital em trabalho de parto por 12 horas “confinada e sozinha, sem entender o que estava acontecendo” foi tão ruim que depois disso, ela começou a buscar informações sobre o assunto. Ana fundou o site Doulas do Brasil para tornar mais fácil a comunicação entre mães e as profissionais.

Uma das doulas cadastradas é Renata Moreira Budoia, que passou por um curso de Educadora Perinatal. Geralmente profissionais da área de saúde, como, educadoras físicas e fisioterapeutas utilizam suas aptidões para oferecer maior bem estar às grávidas. No caso de Renata são técnicas de yoga e homeopatia em cursos para gestantes e no próprio trabalho de parto, que também inclui todo o planejamento para o grande dia e o agendamento com médicos parceiros.

Apesar de os obstetras incentivarem o trabalho das doulas, algumas vezes ele não é permitido em hospitais. “Nem mesmo há espaço para as voluntárias. Eu mesma já tentei várias vezes em algumas maternidades aqui da minha cidade (Guarulhos)”, acrescenta.

Mesmo dividida entre as tarefas de mãe e veterinária homeopata, Renata faz questão de continuar o trabalho de doula, com as aulas de yoga para gestantes ou atendimentos uma vez por semana em casa ou via internet. Tudo por conta da má experiência durante o seu primeiro parto.

“Tentei fazer em casa, mas não tinha muitas informações. Um médico amigo meu me ajudou, mas depois de ficar cerca de 10 horas em trabalho de parto estava muito cansada e tive que ir ao hospital. Eles logo foram para a cesária. Eles mal sabiam meu nome e naquele momento não tive o amparo que necessitava. Costumo dizer que foi uma pequena cicatriz na barriga, mas um rombo na minha alma”, finaliza.

Sites

Doulas do Brasil - informações sobre o trabalho de doulas e contatos de profissionais.GAMA- cursos para gestantes e doulas.

Por Juliana Lopes

Comente