Deslocamento de placenta

Deslocamento de placenta

A comunicação entre mãe e filho começa já na barriga, antes mesmo do bebê estar prontinho para nascer. Para que essa troca seja adequada, é preciso que a mulher grávida esteja em boas condições de saúde, podendo assim proporcionar à nova vida alimento e nutrientes que ela precisa para se desenvolver com saúde. Muitas mulheres grávidas não sabem, mas a placenta é fundamental nesse ‘diálogo’. O problema é que seu deslocamento pode acontecer em qualquer fase da gestação e aí a complicação é grave.

O obstetra Juscélio Andrade, do Paraná, explica que quando ocorre deslocamento de placenta, ela se descola da parede do útero, interrompendo a comunicação adequada entre mãe e feto. “O quadro se apresenta com dor abdominal (útero hipertônico) e sangramento. E pode ser ocasionado por acidentes como trauma ou em decorrência de pré-eclâmpsia (hipertensão que pode resultar em convulsões e outras conseqüências mais graves)”, esclarece.

Ele diz que as pacientes mais propensas a esse tipo de complicação são as que já tiveram várias gestações prévias e claro, as hipertensas. O risco de morte para o bebê é alto, principalmente por falta de oxigênio para o feto. “Na mãe, as conseqüências são hemorragia e coagulação intravascular, que pode também levar a óbito”.

Para evitar esse problema, o mais indicado é controlar rigorosamente a pressão arterial durante a gestação e, claro, evitar grandes traumas. “O tratamento efetivo é a realização de cesárea em tempo oportuno, para salvar o feto enquanto vivo e evitar as complicações maternas”, finaliza. Se planeja um novo filho ou já está com ele crescendo aí dentro, fique de olho na pressão.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente