Desejos de mulheres grávidas

Desejos de mulheres grávidas

Foto: Dreamstime

Dizem que toda mulher grávida têm desejo de comer coisas estranhas. Volta e meia ela quer alguma coisa que dificilmente pode ser encontrada na geladeira ou no mercadinho da esquina. Mas será que essas vontades são puro capricho ou são indícios de que o organismo está sentido falta de algum nutriente?

Para a nutricionista funcional Luciana Harfenist, estes tais desejos podem estar relacionados a caprichos emocionais. "Se eu estou grávida e adoro pavê de chocolate, quando tiver fome, certamente vou pensar em algo que eu goste de comer. Acredito que desejo seja mito, uma forma de a grávida chamar a atenção da família para ela. Eu particularmente não vejo minhas pacientes terem esse tipo de desejo", comenta.

Quando a gestante não possui uma alimentação balanceada e não come regularmente de três em três horas, pode apresentar carência de carboidratos. Dra. Luciana explica que os sintomas que indicam esse quadro são tontura e leve escurecimento da vista. "Na gestação, a demanda de carboidratos aumenta. Como o bebê puxa para si os nutrientes que necessita, o corpo da mãe pode ficar defasado. Logo, ela precisa elevar o consumo de carboidratos", diz.

Dra. Luciana conta que já viu casos de mães que quebraram o dente comendo alimentos simples, como pão. "Isso acontece por conta da desmineralização, que ocorre durante a lactação. Se a gestante não tiver com uma ingestão adequada de cálcio, pode ver seus dentes se quebrando com muita facilidade", alerta.

Já a falta de nutrientes como sódio, potássio e magnésio gera fraqueza e mal-estar. Neste caso, a nutricionista recomenda que se consuma muito líquido. "Há mães que evitam líquidos por conta do aumento da vontade de urinar, mas não se devem pensar assim. A formação celular do bebê também depende da ingestão de bastante líquido", explica a Dra. Luciana.

Essa prática previne inclusive a cistite, uma inflamação na bexiga. "Um bom método de prevenção é ingerir suco de cranberry (uma fruta pequena e vermelhinha, parecida com uma cereja). Ele impede a aderência da bactéria nas paredes da bexiga. Os sucos industrializados contêm um adoçante que a gestante pode utilizar", diz a nutricionista.

Alimentos ricos em ômega 3 também são essenciais para o bom desenvolvimento do sistema nervoso central do bebê e para o equilíbrio emocional da gestante. Além disso, a mãe que consome uma quantidade equilibrada desse tipo de gordura possui uma membrana celular mais eficiente, facilitando a entrada e saída de nutrientes. "O ômega 3 até previne a depressão pós-parto", ressalta Dra. Luciana.

A especialista aproveita para ressaltar a importância de se aliar o pré-natal às consultas com nutricionistas: "Por meio de avaliações clínicas, podemos identificar as deficiências nutricionais das futuras mães. Às vezes um formigamento, dor de cabeça ou prisão de ventre podem nos ajudar a chegar a um diagnóstico".

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?