Cursos para gestantes

[img=1]

Enjôos, chutes na barriga, ultra-som, enfim, um universo de assuntos que só grávida entende. E quando você compartilha essas experiências com outras futuras mamães fica melhor ainda, afinal, são milhões de dúvidas que surgem no meio do caminho.

Por mais que a natureza ajude, nenhuma mulher nasce sabendo como ser mãe. Cursinhos básicos são ótimos porque oferecem uma noção de como dar banho, trocar a fralda e amamentar o bebê.

Muitas cidades do país contam com cursos gratuitos, geralmente vinculados a hospitais, maternidades e universidades públicas. É o caso do Hospital Samaritano (SP), que indica sempre a participação do pai durante as aulas. Conforme o coordenador do curso e obstetra, Edílson Ogeda, o curso indicado para mulheres a partir do quarto mês de gestação mistura teoria e prática durante um dia inteiro.

“Pela manhã, os papais de primeira viagem aprendem um pouco sobre fecundação, mudanças no corpo da mulher e o como será o pré-natal. Nós explicamos como funciona o parto, sempre incentivando o parto normal, e o método para a coleta do sangue do cordão umbilical”, explica.

Técnicas de respiração e relaxamento, como dar banho e fazer o curativo umbilical estão nas aulas práticas. Mesmo com tanta informação, o obstetra revela que os casais ainda têm receios comuns, como a melhor posição do bebê na banheira ou a temperatura da água.

Durante as aulas, nutricionistas explicam sobre aleitamento materno e as profissionais de fisioterapia técnicas de shantala aos bebês, tudo com bonecos para cada casal.

Já as fonoaudiólogas lembram algo bastante importante. “Muitos hospitais não oferecem a triagem auditiva, exame indicado aos recém-nascidos que deve ser feito nos seis meses de vida”, lembra Ogeda. Caso o diagnóstico seja mais tarde, três ou quatro anos depois, a criança poderá ter sérios prejuízos cognitivos e de linguagem.

Dicas

Para quem não participou do curso, veja algumas dicas quando for dar os primeiros banhos:

  • Em partes: antes de tirar a roupa do bebê, lave o rostinho com um chumaço de algodão embebido em água morna. Seque com toalha macia. Depois limpe o ouvido (parte externa) e nariz com um cotonete seco ou úmido. Segure o bebê com a barriga para cima e lave a cabecinha. Seque depois. Tire a roupa para lavar o corpo todo.
  • Corpo inteiro: basta segurar o bebê com firmeza e colocar na banheira. Lave o rosto com água. Esaboe a cabecinha e depois o corpo.
  • Separe tudo que você precisa e deixe em um local ao alcance das mãos.
  • Os banhinhos devem ser diários, para evitar irritações e assaduras. È sempre bom manter o mesmo horário e lugar, isso facilita a rotina da mãe e deixa o bebê mais acostumado.
  • Banheira: lave sempre antes de usar. A temperatura deve ficar em torno de 37ºC. Faça um teste antes com o cotovelo e veja se a sensação é agradável. Um termômetro também ajuda. A água deve cubrir o tórax do bebê quando ele estiver inclinado sobre o braço da mãe.
  • Sabonetes: neutro e liquido
  • Toalhas: sempre macias. Não se esqueça de secas as dobrinhas, para evitar assaduras.
  • Pomadas: prefira aquelas com oxido de zinco.
  • Hospital Samaritano

    Telefone: (11) 3821-5840

    Por Juliana Lopes

    Comente