Como organizar um chá de bebê?

Como organizar um chá de bebê

Foto: Alessandra Spinelli.

A chegada do bebê é o momento mais esperado para as mamães. Nessa hora, tudo o que ela quer se preocupar é com a arrumação do quartinho e com as primeiras compras essenciais para o cuidado do pequeno. Mas e o chá de bebê, como se faz?

"Geralmente quem organiza o chá é uma pessoa próxima da gestante: amiga, mãe, irmã, tia, ou até mesmo a própria gestante", explica Hirley Neves, proprietária da Tanti Auguri, de São Paulo, empresa especializada em serviços de chá de bebê.

Depois de escolhida a responsável por organizar o grande evento - seja ela uma amiga próxima, alguém da família, ou mesmo contratado - o próximo passo é definir o tipo de encontro e quantas pessoas serão chamadas. "Não há regras. Se você tiver um bom espaço para receber os convidados com conforto e os ‘comes e bebes’ não pesarem no bolso (lembre-se que você terá que comprar muitas fraldas no futuro), convide quem você quiser, até porque, geralmente de 10% a 20% dos convidados não comparecem à festa", comenta Hirley.

Ou seja, querendo um evento grande com muita gente ou não, todas as opções são válidas. Só depende do gosto mesmo de cada mamãe. Mas a profissional cita algo muito importante a ser checado. "Se a gestante já estiver no final da gravidez, é importante lembrar que ela se cansa facilmente. Quanto mais pessoas convidar, mais atenção terá que distribuir e isso poderá ser bem cansativo", lembra Hirley.

Depois de escolhido o tipo de festa, hora de averiguar o local. Qual o melhor? Hirley ensina: "Em casa, obviamente. É o ambiente é mais íntimo e acaba ficando mais aconchegante. A maioria das festas que organizamos é realizada na casa da gestante ou de uma amiga ou parente. Muitas gestantes que moram em prédios acabam fazendo no salão de festas", observa a profissional. Mas isso não significa que não se possa contratar um serviço especializado, num restaurante, por exemplo. "Com buffet, a gestante não tem trabalho nenhum e é como uma convidada: chega para a festa, curte e, no final, vai embora", comenta a especialista. Mas ela alerta que o custo é bem maior comparando-se com a festa feita em casa.

Próximo passo: a decoração. Hirley ensina que a festa deve ser decorada com temas infantis. As cores utilizadas vão do gosto da freguesa. "Muitas mães gostam de utilizar as cores básicas: rosa, azul e branco. Porém, outras preferem algo mais colorido, como as cores do arco-íris", observa. Ela também conta que sempre é legal escrever uma mensagem de boas vindas ao bebê. Você pode colocar balões e flores para enfeitar a casa. "E não se esqueça de fazer uma mesa bonita e caprichada. Um bolo pequeno, porém bem decorado, também causa uma boa impressão".

E os presentes? O que é legal pedir? Hirley afirma que se a mamãe quiser pedir somente fraldas, não há problema algum. Afinal, ela vai precisar de muitas nos meses seguintes ao nascimento. "O ideal é pedir de várias marcas diferentes, pois nunca se sabe se o bebê poderá ter alergia a alguma delas. Peça também de vários tamanhos, assim você garantirá um bom estoque para todas as fases de crescimento do bebê", indica.

Agora, se você não quer acabar com uma montanha de fraldas, pode pedir coisas básicas, como chupetas, paninho de boca e pomadas para assaduras. "Tenha que o presente, na verdade, deve ser uma lembrancinha! Não peça produtos caros, como esterilizador de mamadeira ou carrinho de bebê. Estes você pode ganhar quando o bebê nascer. É deselegante fazer com que seus convidados gastem duas vezes", afirma Hirley. O gasto máximo para cara pessoa não deverá ultrapassar o valor de R$ 20. "A finalidade do chá de bebê não é ganhar presentes, mas sim, comemorar um momento especial, ou seja, o bebê que está por vir".

Hora da diversão. Que tipo de brincadeiras posso fazer no meu chá de bebê? Hirley conta que diversos sites da internet possuem dicas de brincadeiras que podem ser feitas nesse dia, como gincanas - onde todos os convidados podem participar - e o tradicional "adivinhe o presente". É interessante que as brincadeiras sejam ‘light’ e que todos possam participar. O que não pode acontecer é o constrangimento. "Nunca, jamais faça uma brincadeira que possa constranger a gestante. Ela está num momento especial de sua vida, principalmente se for seu primeiro filho. Gestantes geralmente ficam mais sensíveis e emotivas e uma brincadeira sem graça pode acabar com sua alegria na festa", adverte Hirley.

Como toda festa, o chá de bebê também deve ter comidinhas e bebidas. Hirley afirma que, o mais comum, é um buffet informal com sanduíches, salgadinhos, docinhos, sucos e refrigerantes. "Mini quiches e mini-tortinhas de frutas também são práticos de comer e uma opção muito gostosa", indica. "Para festas à noite, você pode fazer algo mais requintado, como um jantar com massas ou um buffet de crepe ou sopas", completa.

Por último e não menos importante vem as lembrancinhas. Algumas opções podem ser chaveirinhos em forma de bonecas ou bichinhos, docinhos, bichinhos feitos de biscuit, sachês, potinhos enfeitados recheados com guloseimas - e mais o que a imaginação mandar.

[galeria]

Lembre-se de não ultrapassar mais do que 4 horas de festa, o máximo recomendável. "A não ser que seus convidados sejam muito íntimos e você não veja problemas em dar uma esticadinha", sugere. E o mais importante é não cansar a gestante. "Se quem estiver organizando a festa perceber que a gestante já está cansada, de maneira sutil e educada, avise aos convidados que já é hora de finalizar a festa", encerra.

Para não errar, algumas falhas que acontecem e podem ser evitadas:

- Não calcular bem a quantidade de comida e bebida (isto vale para qualquer tipo de festa)

- No caso das organizadoras: "forçar" a gestante a fazer certas brincadeiras das quais não gosta ou não se sente bem em fazê-las. Isso cria um ambiente constrangedor, até mesmo para os convidados.

- Esquecer de tirar fotos. Um momento tão especial não pode deixar de ser registrado.

- Esquecer de perguntar para a própria gestante como ela prefere fazer com os presentes: algumas preferem guardá-los e depois, com calma, abrí-los em casa para agradecer pessoalmente a seus convidados pela lembrança. Outras preferem abrir na mesma hora.

- Não oferecer lembrancinhas aos convidados. Por mais simples que sejam, é uma maneira de dizer "obrigado" por ter compartilhado este momento tão especial.

- Ainda no caso das lembrancinhas, tente presentear com alguma coisa útil, de forma que os convidados utilizem todos os dias e não as deixem guardadas no fundo de uma gaveta. Sugestões: cupcakes (muffins) decorados com motivos infantis, canecas personalizadas, vasinhos com sementes de flores, etc.


(Fonte: Hirley Neves/Tanti Auguri)

Por Tissiane Vicentin (MBPress)

Comente