Câncer de tireóide - diagnóstico depois da gravidez

Câncer de tireóide

As mulheres são as que mais sofrem com o câncer de tiróide, a cada quatro doentes, apenas um é homem. De acordo com informações do Inca (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de tireóide é o quinto mais diagnosticado entre os pacientes do sexo feminino.

Alguns médicos têm pedido exames para detectar qualquer tipo de câncer de tiróide após o parto, o que tem intrigado as gestantes. Durante o período gestacional há diversas mudanças hormonais no organismo, isto envolve também os hormônios da tireóide. Porém, a ideia de que durante a gravidez ou no pós-parto a mulher fica mais suscetível ao câncer de tireóide é um mito. Não há o que temer.

"O que acontece é que muitas vezes o câncer, que na fase inicial é assintomático, já está instalado e agindo silenciosamente. Durante a gestação é comum que as mulheres realizem mais exames de prevenção, aumentando as chances de descobrir uma doença já existente. Não podemos nunca definir a gravidez como um fator de risco", alerta o Dr. Dorival de Carlucci Júnior, cirurgião de cabeça e pescoço do Hospital São Luiz.

O cirurgião afirma que exposição frequente à radiação é um dos fatores desencadeantes do câncer. "Este tipo foi muito observado em locais próximos à usina nuclear de Chernobyl, Ucrânia. E já está aumentando os casos no Japão, devido ao acidente na usina, consequência do terremoto ocorrido em março de 2011", comenta o especialista.

Estudos estão sendo feitos para confirmar ou descartar a influência do excesso de iodo sobre o desencadeamento do câncer. O cirurgião nega também que alimentação inadequada e atividades do cotidiano, que não envolvam radiação, aumentem os riscos. "O abuso de iodo tende a agredir as glândulas tireóideas, provocando inflamação que pode levar ao câncer. É importante ressaltar que esta associação não está comprovada", afirma.

O exame mais usado no diagnóstico é a ultrassonografia. Apalpar, como é recomendado na prevenção do câncer de mama, não é usado neste caso. "Entre as mulheres de 40 e 50 anos 40% dos nódulos aparecem na ultrassonografia e apenas 5% são palpáveis", conta o cirurgião. A ocorrência de câncer de tireóide é possível em qualquer idade e sexo, porém, quanto mais velha for a pessoa mais nódulos ela terá. A quantidade de nódulos aumenta a possibilidade de tumor.

Embora este seja um tipo comum de câncer, o índice de cura é bastante alto. "As chances de cura são de 95% com a realização de cirurgia. Conciliando a operação com a iodoterapia esta possibilidade sobe para 97% de sucesso", afirma Dr. Carlucci Júnior.


Glândula Tiróide

Tireóide é uma glândula localizada na região do pescoço. Essencial para o bom funcionamento do nosso organismo, ela é responsável pela produção dos hormônios T3 (tiiodotironina) e T4 (tiroxina) que atuam regulando o crescimento, digestão e o metabolismo.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente