20% das mulheres jovens sofrem de infertilidade

infertilidadefeminina

Foto - Shutterstock

A infertilidade feminina é geralmente causada por problemas relacionados à ovulação. Existem mulheres que menstruam mês sim, mês não, ou tem intervalos na menstruação que não são normais. Distúrbios ovulatórios ou hormonais costumam justificar porque mais de 20% das pacientes jovens não estão aptas a concepção.

As chances de um casal jovem e aparentemente saudável conseguir engravidar logo no primeiro mês de tentativas são de apenas 15%. Entretanto, no período de um ano de tentativas regulares, essa taxa costuma ser de 80%.

Os problemas para ovular podem acontecer principalmente por três fatores: síndrome dos ovários policísticos, distúrbios da tireoide (hiper ou hipotireoidismo) e falência ovariana prematura (antes dos 40 anos).

Estudos indicam que a SOP (síndrome dos ovários policísticos) atinge entre 5% e 10% das mulheres em idade reprodutiva, sendo a anovulação crônica típica dessas pacientes. Por isso mesmo, como tratamento de primeira linha para engravidar, é indicada a indução de ovulação e aplicação de técnicas de baixa complexidade. A fertilização in vitro só é indicada nos casos em que esses recursos falharam.

Outros casos muito comuns têm influência sobre a menstruação e a ovulação. Em atletas olímpicas, bem como corredoras de maratonas e, em alguma medida, bailarinas profissionais, o hipogonadismo (quando os ovários produzem pouco ou nenhum hormônio sexual) pode se manifestar por atraso da menarca ou pela interrupção da menstruação. Isso também costuma ocorrer quando a paciente está muito abaixo do peso normal ou nos casos de obesidade.

Para quem quer aumentar as chances de concepção, é recomendado ter cuidados com a dieta, incremento ou redução de atividade física, controle do estresse e interrupção do hábito de fumar.

No caso de pessoas obesas ou com sobrepeso, uma das primeiras orientações é perder peso de forma saudável - o que é uma das etapas mais difíceis do tratamento.

Estudos mostram que perder entre 5% e 10% do peso resulta em melhora do perfil lipídico, da pressão arterial e da resistência à insulina, promovendo a restauração dos ciclos ovulatórios em muitos casos.


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: fertilidade hormônios infertilidade