Vou ganhar um irmãozinho. E agora?

Vou ganhar um irmãozinho E agora

Mais um bebê na família é só motivo de felicidade, certo? Sim! Mas os irmãos mais velhos podem sofrer um pouquinho com a ideia de compartilhar o que antes era apenas dele.

A psicóloga Rafaela Paixão, do CPPL explica que isso pode ser visto como algo assustador, que acende valores competitivos. Esse tipo de reação é uma espécie de autoproteção. "Na tentativa de chamar a atenção para o que está sentindo, a criança, muitas vezes, começa a fazer birras e a apresentar alguma hostilidade, comportamento de recusa ou mesmo uma aproximação excessiva de um dos pais".

Nesse momento é importante que os filhos tenham atenção redobrada para esse momento. Muitos se projetam em um de seus filhos e acabam por se dedicar ou proteger um deles em detrimento do outro. "Por exemplo, reviver com seu primogênito toda a dedicação que um dia desejou como primogênito dos seus pais ou experimentar com o bebê recém-chegado toda a impaciência que já teve com seu irmão caçula", diz a profissional.


Rafaela alerta que os pais são responsáveis por atribuir valores e desmitificar suspeitas na relação entre os irmãos. "Este pode ser um passo importante para que a relação entre os irmãos seja construída criativamente e timbrada com o selo da amizade".

Comente