Volta às aulas: será que meu filho está bem adaptado?

Adaptação das crianças na escola

Foto: Hero/Corbis

Quando a criança está ingressando na fase escolar ou mudando de instituição de ensino, há uma ansiedade por parte dos pais e dos filhos. Mas o segredo é os adultos não deixarem esse sentimento transparecer. Conforme explica Eliana de Barros Santos, psicóloga e diretora pedagógica do Colégio Global, nas primeiras semanas o que importa é oferecer segurança para que o aluno possa se sentir bem e consiga estabelecer vínculos com a escola (novos professores, colegas e demais funcionários) escolhida pelos pais.

"Cumpra todos os horários de forma britânica e apresente a escola com alegria para seu filho, evitando demonstrar seus anseios. Evitar muitos questionamentos e observar mais o comportamento e as reações da criança é uma boa forma de avaliar se o processo de adaptaçãoestá indo bem", orienta Eliana.

Os pais precisam ter em mente que a adaptação do filho à escola não acontece de maneira imediata. Esse processo pode levar semanas ou até mais de um mês. Portanto, acalmem-se! "Deixem a ansiedade de lado e acreditem na escolha que fizeram. Se estiverem inseguros procurem o coordenador e esclareçam suas dúvidas, mas não permitam que a criança perceba sua insegurança", pede a psicóloga.

Manter esse sentimento pode atrapalhar a relação pais-escola, que deve ser baseada na confiança e no questionamento. Numa relação enfraquecida, quem perde é o aluno, que encontrará uma forma de se beneficiar do conflito.

O acompanhamento dos pais é feito também por meio de reuniões. E Eliana explica: este é o momento de tratar assuntos do coletivo, a escola expõe suas realizações e seus projetos e troca impressões com a família, orientando a todos para que possam cooperar e contribuir para o bom desenvolvimento dos alunos. Os pais devem adotar uma postura colaborativa, pois são parte do tripé que equilibra a educação (aluno - escola - pais). "Não é hora para discutir a relação. As particularidades de cada aluno devem ser tratadas em encontros agendados."


A diretora pedagógica lembra ainda que o processo de adaptação acontece também fora da escola. "Monitore diariamente o filho, verificando se ele está cumprindo com seus compromissos escolares (lição, material, pesquisa). E demonstre real interesse nas atividades dele. A pergunta ‘o que foi discutido em sala hoje?’ é muito mais adequado que: ‘quanto você tirou na prova?’", finaliza.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: volta às aulas ansiedade