Vida de Equilibrista não é coisa só de mulher!

É cada vez mais comum lermos artigos e pesquisas relatando que a nova meta dos executivos é a família. Ou melhor, que eles buscam equacionar melhor suas vidas entre carreira e família. Nada novo para as mulheres equilibristas, mas esse é um novo tema que vem tirando o sono dos marmanjos. Frases como “hoje, a prioridade são meus filhos e não o trabalho”, “Sinto, hoje, o que meus filhos sentiram lá trás: carência afetiva” ou “Sempre tive a consciência pesada por não ver minha família como eu gostaria” já estão nas bocas (e nos corações) dos homens.

O que era um discurso apenas das mulheres agora enche a cabeça dos homens também. E por que isso está acontecendo? Provavelmente não há apena suma explicação mas uma soma delas. Mesmo assim me arrisco a levantar algumas hipóteses e compartilhar com vocês essas ideias:

1. Nós estamos chamando mais eles para dividir tarefas e isso os obriga a fazer coisas que não faziam parte da lista de tarefas masculinas. Por exemplo, pedir a eles que façam compras de supermercado, que levem o filho ao dentista e por ai vai. De alguma forma eles são empurrados por nós para instalarem esse “chip” da divisão das tarefas.

2. A sociedade hoje já não define tão claramente o que deve ser feito pelos homens e o que deve ser feito pelas mulheres. As fronteiras são mais tênues e ambos podem fazer tudo ou quase tudo. Acompanhar filhos em festinhas, sem a esposa, antes impensável para um homem, hoje já é natural. Enquanto isso ela pode ir ao cabeleireiro, por exemplo e ninguém fica de mau com ninguém. Temos assim mais espaços para a interação dos homens com a família.

3. Homens querem estar mais perto da família! Eles perceberam que trabalhar, acumular e se matar nem sempre traz felicidade. Sentem que, apesar de profissionalmente realizados, a distância da família era algo que os deixava incompletos. Nada mais justo do que dividir melhor a equação do tempo entre trabalho e família.

4. Por fim, as crianças cobram mais a presença do pai. Se ambos trabalham, por que apenas amãe tem que estar mais tempo com eles e o pai não? Para um filho ambos os pais são importantes e, na visão deles, devem dar atenção igualmente. Ou seja, os papais têm, dentro de casa, crianças clamando por mais tempo dos pais. E quem resiste a um pedido de filho?


Para nós, mulheres, tudo isso já é parte de nosso dia-a-dia, há muito tempo, certo? Mas parece que estamos ganhando novos companheiros de equilibrismo...

Bem vindos ao picadeiro!

Cecília Russo Troiano é psicóloga, sócia-diretora da Troiano Consultoria de Marca e autora do livro “Vida de Equilibrista”. Casada e mãe de 2 filhos, ela afirma que é mãe equilibrista, vive sua vida tentando equilibrar “pratinhos”. Email - cecilia@troiano.com.br Venda do seu livro pelo site www.vidadeequilibrista.com.br

Comente

Assuntos relacionados: filhos trabalho homens cecília russo troiano