Tiroteio em Realengo - como conversar com os filhos?

Tiroteio em Realengo  como conversar com os filhos

Depois da tragédia que aconteceu na última quinta-feira, quando Wellington Menezes de Oliveira invadiu a Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio de Janeiro, e matou 12 crianças, deixando muitos outras feridas, o assunto é destaque em todo país. Mas como conversar com as crianças sobre o tema que invadiu a programação da televisão?

A psicóloga Regina Elia explica que realmente não é uma tarefa fácil, mas que os pais precisam falar sobre o assunto de forma franca. Reações de medo e um período de insegurança são normais. "É comum que as crianças tenham medo de ir para a escola em um primeiro momento, já que o massacre ocorreu em uma unidade de educação. Mas os pais têm que passar segurança para eles, explicando que isso não irá ocorrer, seguir com eles até a escola e mostrar que está tudo bem. É importante também se posicionar em relação a escola, ir até lá, conversar sobre a segurança e os cuidados para evitar tragédias."

Regina explica que os pais devem ficar atentos ao comportamento das crianças. Se elas demonstrarem medo ou reações diferentes em um período máximo de até 15 dias é normal, depois disso já se torna algo preocupante. Outra coisa que pede muita atenção é se a criança tem reações muito agressivas. "A agressividade só aparece em quem já tem tendência e isso pode ser preocupante. O normal é aparecer o medo e até uma certa revolta em alguns casos".

Uma maneira de perceber se a criança está ou não muito impressionada é deixá-la brincar e desenhar de forma livre. A psicóloga explica que neste tipo de atividade os pequenos demonstram o que estão sentindo e se os pais ficarem atentos podem evitar problemas maiores. "Na primeira semana é até normal aparecer nos desenhos pessoas mortas, tiros e outras referências à tragédia. Se persistir e daqui a um mês a criança ainda seguir pensando muito nisso começa a ser preocupante".


Regina finaliza lembrando que é muito importante dizer sempre a verdade. Trabalhar com a mentira ou então exagerar nunca são boas opções. "Os pais são o referencial dos filhos, é necessário que eles estejam equilibrados para transmitir equilíbrio aos filhos e não só no discurso, também no comportamento".

Por Larissa Alvarez

Comente