Sua filha não gosta do próprio corpo? Saiba como ajudá-la

Sua filha não gosta do próprio corpo

Foto: Birgid Allig/Corbis

Enquanto que observamos cada vez mais jovens brigando com a balança, há também adolescentes que "enxergam" gordurinhas que não existem, e sempre estão insatisfeitas com o seu corpo, mesmo estando em plena forma.

Carine Eleutério, psicóloga e mestre em educação e saúde pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), afirma que esse descontentamento acontece porque é uma fase em que o corpo está em transformação, tanto física quanto comportamental e psicológica.

"Os adolescentes recebem muita influência da mídia em relação a um padrão de beleza e de corpo. Isso repercute em seus modos de agir e de pensar, acarretando na busca por um corpo nos moldes que a mídia apresenta", diz ela.

Embora alguns pais achem a insatisfação com o corpo algo normal da idade, é necessário estar atento, pois pode trazer riscos à saúde da jovem, como alerta Carine: "Isso pode ocasionar um excesso de angústia e depressão ou até mesmo doenças físicas, como a bulimia e anorexia".

A bulimia ocorre quando as jovens recorrem à ingestão de muitos alimentos e depois usam laxantes ou provocam o vômito para perder peso. Já as jovens com anorexia desenvolvem um distúrbio que conduz a uma percepção distorcida do próprio corpo. Desse modo, ela sempre se vê gorda.

Carla salienta que uma maneira de ajudar os filhos a lidarem com isso é mantendo um relacionamento agradável e de confiança. "Ter um bom convívio com os filhos e proporcionar espaço para o diálogo é muito importante para que eles compartilhem suas angustias e preocupações com a família", diz.

Além disso, elogiar as qualidades e habilidades dos jovens é um ponto importante para ajudar a melhorar a autoestima, claro, sem demasia. "Nunca exagere nos elogios ou se restrinja criticas aos pontos que o filho pode melhorar. Evite deixá-los com uma autoconfiança muito elevada ou sem conhecer os limites impostos pelos pais", orienta.

No caso de adolescentes que estão acima do peso, Carla ensina que os pais podem motivá-los a ter hábitos mais saudáveis, como praticando esportes com eles e seguindo uma dieta com alimentação equilibrada. "O dialogo também é muito importante", concluiu a psicóloga.

Por Stefane Braga (MBPress

Comente