Ser mãe dói

Alguém já disse que ser mãe dói, dói a vida inteira. Meu pequeno homem, não é do time dos mais valentes e, ontem, fez seu primeiro exame de sangue. Injeções e vacinas, foram muitas, mas exame de sangue, nunca.

Ele vai tranquilamente ao "doutor", como ele chama, mas há uns 2 meses, o levamos ao PS na madrugada por causa de sucessivos ataques de Hotavírus e lhe aplicaram uma "terrível" injeção. Sabem, no PS, parece que os atendentes trabalham compreensivelmente entediados e talvez, por isso, não tenham nenhuma ou pouca psicologia com as crianças.

Quando ele percebeu a agulha, ainda há metros dele, entrou em pânico, e eu em martírio ao ouvi-lo pedir: injeção não, por favor mamãe! Por favor! Por favor... Mesmo com tantos apelos, dolorosos, para quem é mãe e compreende as emoções daquele pequeno ser tão bem, ele foi logo segurado com força, e a agulha bruscamente cravada.

Tem os braços tão fininhos, que às vezes tenho medo de quebrá-los com qualquer gesto brusco. Ele é assim, de corpinho delicado e magrinho.Quando bebê, nunca fez exames de sangue, pois o pediatra alegava que seu pequeno braço não suportaria a inserção da agulha e poderia romper-lhe a veia. E eu pensava que, quando ele, aos 3, 4, 5... anos, eu já teria perdido o tanto de dó que tenho nessas situções. Mas não, acho que vai doer sempre.

Ontem, saímos de casa com uma promessa que não pudemos cumprir: não teria injeção. Quando percebeu o cantinho no qual havia tomado a tal injeção antes, ficou a tremer, o coração batia com muita força em minha mão e ele repetiu durante uns 40 minutos, o tempo que esperamos: - Mas eu não tenho coragem, eu não consigo ter coragem!

Quando a moça veio com a agulha e os tubos, ele estendeu o bracinho e repetia que não tinha coragem, chorando. Falei que podia chorar se doesse, pois ele pensava que ter coragem era estender o braço e ainda não chorar. Mas ele foi corajoso, muito! Nem se quer tentou puxar o bracinho ou movimentou-se indicando fuga. E eu fiquei orgulhosa da valentia de meu pequeno homem.

Quando o colocamos no assento do carro, ele chorou muito e contestou várias vezes quando eu disse que ele havia sido muito corajoso. - Não, mamãe, eu não consegui coragem, eu chorei!

Totalmente fora de hora, quase 1 hora da madrugada e ele ganhou um MacDonalds; e para minha surpresa, ao chegar em casa,  devorou o sanduiche, coisa difícil, pois quer mesmo é colecionar os brinquedos.

Exageros de mãe, não é? Mas que atire a primeira fralda aquela que nunca sofreu numa situação semelhante.

Beijinhos super carinhosos. Mary

[imgImportadorBlog-4]

Comente

Assuntos relacionados: posts mary