Quando levar meu filho ao psicólogo?

psicólogo

© Grady Reese/Corbis

Quando o pequeno nasce, é só alegria! Seu coração se enche de felicidade e a casa fica animada. Mas à medida que ele vai crescendo, pode criar conflitos e atitudes que não condizem com o que você faz em casa: seria a hora de buscar um psicólogo?

A psicóloga e pedagoga Elisabeth Monteiro, autora dos livros "Criando Filhos em Tempos Difíceis" e "Criando Adolescentes em Tempos Difíceis" (Editora Summus), diz que o primeiro passo é a aceitação. "Os pais têm um preconceito muito grande com o psicólogo. Acham que é coisa de louco quando, na verdade, todas as pessoas deveriam passar por um acompanhamento psicológico uma vez na vida", explica.

Os pais sentem que falharam em sua missão quando os filhos necessitam de ajuda psicológica, mas isso não é verdade. Por meio de um profissional capacitado é possível compreender a si próprio, amadurecer e saber conhecer tanto a si quanto ao outro.

Ao observar o comportamento do seu filho, note os elementos incomuns e que podem parecer fora no normal para a etapa de desenvolvimento dele. "Fazer xixi na cama é comum numa determinada idade, em outra faixa etária pode ser sintoma de algo diferente", indica a psicóloga.

É necessário que se saiba bem como se dá o desenvolvimento infantil para diferenciar uma etapa normal do crescimento, de uma passagem difícil na vida dessa criança/adolescente ou de algum sintoma de que alguma coisa está errada. Gaguejar é normal aos três anos e egocentrismo é aceitável até os cinco, por exemplo. "Tudo que está fora da etapa do desenvolvimento e que passa a atrapalhar, significa que é hora de procurar o psicólogo", diz Elisabeth.

Os pais querem resolver todos os problemas dos filhos sozinhos, mas nem sempre é possível. Quando o sentimento de impotência bater, quando você não souber exatamente o que fazer para que seu filho seja uma criança feliz, busque ajuda. Existe alguém que estudou anos e anos para saber como conversar e amenizar os males que afetam uma das pessoas mais importantes da sua vida.

Se for muito difícil admitir que a terapia é uma etapa natural e necessária na vida de todos, talvez você deva se sentar no divã junto com seus pequenos. E não há problema nenhum nisso!

Serviço

Elisabeth Monteiro - http://elizabethmonteiro.com.br/

Por Juliany Bernardo (MBPress)

Comente