Projetos ensinam cidadania para estudantes

Projetos ensinam cidadania para estudantes

Foto Divulgação

Ensinar noções de cidadania para as crianças e adolescentes. Esse é o objetivo do empresário curitibano Faruk El-Khatib, que desenvolve três projetos educacionais aplicados em diversas regiões do Brasil, com foco em diversos públicos.

O primeiro chama-se "Se Essa Rua Fosse Minha" e consiste na distribuição de material didático para estudantes do ensino fundamental, com conteúdo voltado a melhoria do comportamento de motoristas e pedestres no trânsito, a conservação da limpeza urbana, entre outros temas. O projeto, criado em 2006, já atingiu mais de um milhão de alunos e recebeu os Prêmios Denatran e Volvo.

"O retorno desse trabalho tem sido muito satisfatório, com solicitação de continuidade do programa para os próximos anos", concluiu Faruk El-Khatib.

Já com a proposta de oferecer noções de cidadania, cuidados com a saúde, defesa do patrimônio público e valorização da família, além de reforçar a educação no trânsito, o segundo projeto desenvolvido pela empresário chama-se "Esta Cidade Também é Minha", direcionado aos estudantes do segundo ciclo do ensino fundamental - sétimo, oitavo e nono ano.

Nos dois projetos, os estudantes aprendem brincando, de forma lúdica, com o jogo de tabuleiro "Melissa e seus Amigos Combatem o Monstro Crack", que ensina, de forma divertida, crianças e adolescentes a se socializarem e evitarem o contato com as drogas.

O jogo apresenta várias alternativas que levam o participante a reflexões sobre o uso do crack. Ao longo do percurso, ele recebe orientações de conselheiros e encontra diversas situações de risco, cabendo ao jogador conseguir sair delas, ou seja, optando pelo caminho onde não encontra a droga.

"O jogo tem a capacidade de reunir gerações diferentes em torno de uma mesa, gerar momentos agradáveis e importantes, além de proporcionar um lazer divertido e que exercita a mente", explica Faruk.

Mais específico, o projeto "Cidadania Também Vai de Moto" visa conscientizar os motociclistas sobre segurança ao pilotar. Segundo o idealizador dos projetos, os acidentes envolvendo motos justificam a necessidade de implantar programas que auxiliem o motociclista.


"A educação no trânsito é uma questão de urgência social que afeta o desenvolvimento da cidadania e a qualidade de vida das pessoas. Portanto, resolvemos criar alternativas que ressaltem os direitos e deveres do cidadão como participante ativo no trânsito", conclui.

Por Carmem Sanches

Comente