Pesquisa com crianças mostra como racismo ainda faz parte da cultura

Racismo na infância sim ainda existe

Foto - Divulgação.

A agência de publicidade mexicana "11.11 - Cambio Social" realizou uma pesquisa com crianças na intenção de mostrar como o racismo continua enraizado no país. O estudo faz parte da campanha intitulada "Racismo no México" .

Para o experimento foram colocados dois bonecos em cima de uma mesa, um branco e um negro. Os profissionais perguntaram à diversas crianças, de diferentes raças, qual dos dois bonecos era o mais bonito. Todas, sem exceção, escolheram o branco, que, detalhe, tinha olhos azuis.

Em seguida, perguntaram às crianças qual dos dois bonecos era bom e qual era mal. Todas assinalaram que o branco era bom e o negro mal. Quando questionadas sobre o motivo dessa escolha, muitas não souberam o que responder. No entanto, algumas citaram que o branco dava mais "confiança".

Por fim, o estudo pediu aos pequenos que escolhessem qual boneco parecia mais com eles.

Lembrando que as crianças mexicanas possuem fortes traços mestiços e indígenas. As que se identificavam mais com o boneco negro, demoravam para assumir. E as que se identificavam mais com o branco, não sabiam o porquê. "As nossas orelhas são parecidas", chegou a dizer um garoto.

A pesquisa constatou que o racismo no México existe e que é "transmitido e reproduzido culturalmente", como disse a agência.

O grupo de publicitários não conseguiu encontrar um boneco negro em nenhuma loja de brinquedos mexicana para realizar o experimento. Portanto, precisaram pintar um boneco branco e trocar seus olhos azuis por outros marrons.

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: crianças racismo racismo crianças