Perfil de jovens usuários de drogas na internet

Perfil de jovens usuários de drogas na internet

Uma pesquisa aponta as motivações para o início e para o fim do consumo de drogas entre jovens que navegam na Internet. A análise de comunidades virtuais foi o princípio da pesquisa feita para o Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês (IRSSL). O levantamento foi feito a partir de palavras-chaves como "maconha", "cheiro", "usuário" e outras.

Além de traçar um perfil do usuário a pesquisa pode encontrar comunidades relacionadas a busca pelo fim do vício. A ideia nasceu de uma necessidade enfrentada no dia a dia, a partir da gestão que o Instituto faz de nove grupos de Estratégia de Saúde da Família (ESF) na região central de São Paulo, em áreas atendidas no centro da cidade. Dr. Sérgio Zanetta, superintendente executivo do Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês (IRSSL), destaca que é preciso aprender a relacionar se com as pessoas. "Entender a forma como as pessoas estão se expressando com relação às drogas é importante para que possamos aprender a nos relacionar com elas", afirmou.

Destacam-se na pesquisa vídeos no YouTube com depoimentos de ex-viciados, apelos de pais em comunidades como Orkut e Facebook, bem como blogs mantidos por pessoas que buscam no apoio de que precisam para se manterem "limpos" de forma anônima.

Segundo a pesquisa, 6 e 8% da população necessita de atendimento regular devido aos transtornos causados pelas drogas e álcool, seja o usuário ou o co-dependente. Essas pessoas são acolhidas, a princípio, pelo atendimento básico como Programa Saúde da Família e as AMAs e UBSs.


De acordo com Zanetta, o agente de saúde precisa aprender a se relacionar com as famílias atendidas e ajudá-las a enfrentar esse problema de saúde pública. Levar informação sobre as principais formas que levam os jovens a se iniciarem nas drogas é muito importante. "De posse de toda essa informação, o agente pode, por exemplo, levar informação sobre reforço de laços de família, que ajudam a diminuir a busca pela drogadição", acrescentou.

Por Catharina Apolinário

Comente