Pais bem humorados = filhos felizes?

Pais bem humorados  filhos felizes

Foto: Drew Myers/Corbis

Estudos cada vez mais aprofundados sobre a vida emocional dos bebês têm concluído que o nível emocional da mãe pode sim afetar o do bebê. Sentimentos ruins como ira, depressão e ansiedade exacerbada podem atrapalhar o desenvolvimento físico e psíquico dos pequenos.

E somam-se a isso as preocupações que as mães têm com os filhos após o nascimento: como vou educá-lo adequadamente, sem vícios ou conceitos que possam prejudicá-lo no futuro? Esses e muitos outros sentimentos muitas vezes paralisam as mães e tornam a relação com as crianças ainda mais difícil. Por isso, o segredo da boa convivência entre pais e filhos é o bom humor.

Sem levar tudo tão a sério e enxergar a formação de caráter dos filhos com mais leveza fica mais fácil educar. Dessa forma eles certamente crescerão mais felizes. Quem garante isso é a blogueira norteamericana Jen. Em seu blog "People I Want to Punch in the Throat" ("Pessoas em quem eu quero dar um soco na garganta", em tradução literal) ela encara com bom humor as mais variadas situações do dia a dia.

Após conquistar milhares de leitoras, Jen decidiu contatar outras mães que também sabiam tirar sarro de situações cotidianas e reuniu os textos de todas elas em um livro, "I Just Want to Pee Alone" ("Eu só quero fazer xixi sozinha", em tradução literal). O livro composto por 37 histórias ainda não tem versão em português.

Esse bom humor, segundo a psicóloga Luize Garé, pode sim ajudar as mães a lidarem com o desafio da maternidade e da educação de uma forma mais leve e saudável. Ela defende que as pessoas bem-humoradas costumam enxergar os acontecimentos dando ênfase aos aspectos e possibilidades positivas e não às negativas. "Este modo de ser ajuda a mãe a ser mais otimista e, por consequência, a encontrar mais soluções para os problemas."

Por consequência, os filhos tendem a se desenvolver de maneira mais saudável. "Se uma criança é criada a partir da crença de que se deve valorizar os aspectos positivos e cada conquista, provavelmente ela será uma pessoa mais positiva, com maior predisposição a se sentir bem e feliz", pensa a psicóloga.


Mas esse bom humor, assim como tantas coisas que envolvem a criação dos filhos, precisa ser bem medido pelos pais. Isso porque, segundo Luize, ser bem-humorado não significa, necessariamente, estar sempre rindo ou fazendo piadas ou fugindo das frustrações.

"O excesso de piadas ou de comentários com o objetivo de descontrair o ambiente pode ser visto como imaturidade. O bom humor está ligado a uma forma de pensar, de encarar os acontecimentos do dia a dia", lembra. "O ideal é os pais ensinarem aos filhos a enfatizar os aspectos positivos do cotidiano e às possibilidades de solução dos problemas", finaliza.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?