O que fazer quando o filho enfrenta problemas na escola

O que fazer quando o filho enfrenta problemas na e

A infância e adolescência são fases muito importantes na vida de todos. Nelas, passamos por diversas experiências marcantes, grande parte no ambiente escolar. Assim, crianças e adolescentes acabam enfrentando também alguns probleminhas na escola.

A pedagoga Maria Fernanda da Fonseca explica que essas barreiras contribuem para o desenvolvimento dos filhos. "Ao longo da vida de uma criança ou adolescente, é normal que passe por algum tipo de dificuldade ou vários tipos, porque enquanto se desenvolve está interagindo com as pessoas, e com isso vai aprendendo, de forma saudável ou não", afirma.

Quando um filho vai mal numa prova ou atividade é essencial descobrir o motivo disso. Pode ser porque não acompanhou dentro do esperado o conteúdo oferecido, não estuda o suficiente obter resultados melhores ou não prestou atenção devida à aula. Esse é o caso de Guilherme. O garoto tem 10 anos e repetiu uma série do Ensino Fundamental. "Acho que não passei porque ficava brincando na aula e também não estudava muito em casa", confessa.

A assistente de exportação aérea Angela de Oliveira, mãe de Guilherme, diz que gostaria de ser mais presente na vida do filho. "Falta mais atenção pra ele, só que como eu trabalho, não posso dar tanta atenção. Pego no pé, mas seria melhor se eu estivesse perto dele o tempo todo", lamenta.

Realmente, o acompanhamento dos pais ou responsáveis faz muita diferença na vida dos pequenos. De acordo com Maria Fernanda, os adultos podem fazer isso pedindo para que a criança, de vez em quando, mostre as atividades desenvolvidas, as provas, trabalhos, etc. "E claro, sempre participando das reuniões, porque assim vão saber como seus filhos estão na escola do ponto de vista dos profissionais".

Outra razão frequente para as dificuldades escolares são as companhias. Se os amiguinhos da criança ou adolescente estudam, ele costuma estudar; agora, se eles fazem bagunça, vira um bagunceiro também. O fato é que, na idade escolar, as pessoas são mais influenciáveis, pois ainda não têm sua personalidade formada. E os amigos contribuem para essa construção. Há casos em que é necessário afastar os pequenos de alguns colegas. "Em determinadas situações, é indicado o afastamento de colegas sim, principalmente quando for percebido um comportamento inadequado em razão das amizades problemáticas, pois, dependendo da condição, a criança não tem amadurecimento suficiente para sair de situações que venham a gerar problemas em sua vida", alerta a pedagoga.

A especialista orienta que, num caso como o de Guilherme, é bom voltar para casa e ter uma conversa com o filho para que descubra por que vai à aula todos os dias e tomar medidas, como mais exigência e participação na escola.

Agora, se a criança ou adolescente não aprendeu o suficiente, é bem importante que participe da aula de recuperação, pois assim terá mais oportunidade de tirar as dúvidas. "Os pais podem ajudar na recuperação acompanhando para que o filho tenha mais horas de estudo em casa", declara.


Numa sociedade como a nossa, em que o tempo se tornou escasso, não é fácil lidar com problemas escolares dos filhos. Mas, com persistência e amor, essas dificuldades são ultrapassadas. Angela conseguiu reverter o quadro na vida do filho e dá a dica: "Dê atenção aos filhos, eles precisam entender que, se estudarem, se esforçarem, vão ser alguém na vida".

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente