O que fazer quando a babá vai embora?

O que fazer quando a babá vai embora

Com a vida corrida que a maioria das pessoas leva nos dias de hoje, fica difícil cuidar dos filhos, se dividir em todas as tarefas. São viagens ou longos projetos no trabalho, casa para organizar, compras do mês, compromissos sociais e familiares, festas... Por isso, as babás se tornaram profissionais importantes para muitas famílias. Elas dão tranquilidade aos pais que precisam se ausentar de casa por um longo período, e, mais do que isso, desenvolvem laços afetivos com as crianças e até mesmo com outros membros da família. E quando essa babá precisa ir embora, começa um problema que família nenhuma quer enfrentar.

Aryadne Bryant é hoje babá nos Estados Unidos e já teve algumas experiências de despedida. "Eu trabalhei para uma família com três crianças como au pair [espécie de babá nos EUA] por um ano e quando saí foi super difícil, tanto para mim quanto para as crianças e os pais. Eles reclamavam que não gostavam da outra babá por uns 6 meses, até acostumarem, e ela é ótima para eles", conta. Quando Aryadne foi morar com essa família o bebê tinha três meses, a menininha três anos e o mais velho quatro.

De acordo com Roberta Palermo, terapeuta familiar e autora do livro "Babá/Mãe - Manual de instruções", a despedida da babá pode trazer aprendizado à criança. "Quando chegar o dia de dispensar a babá, seja por qual motivo for, a criança precisa se despedir dela. Os pais e a babá explicam de maneira adequada a verdade quando possível, e assim, a criança tem a oportunidade de aprender a lidar com perdas, com frustrações", comenta.

Aliás, sinceridade com a criança é essencial nessa situação. "Os pais nunca podem mentir e dizer, por exemplo, que a babá saiu de folga ou está de férias. Além de a criança poder passar um bom tempo esperando a volta da profissional, pode achar que provocou esse desaparecimento e também não aceitar a chegada de uma nova babá", alerta a terapeuta. Outro risco de inventar uma desculpa para a ausência da babá é o menino ou a menina perderem a confiança nessas profissionais, já que a babá não vai mais voltar.

Desfazer os laços profissionais com a babá não implica necessariamente em desfazer os laços afetivos, se existirem. Observados alguns cuidados, ela pode continuar telefonando e frequentando a casa. Esse é o caso de Aryadne. "Depois que saí da casa, continuei visitando-a com frequência e ainda os vejo, sempre que posso. São como uma família", revela. Para Roberta, isso é saudável, desde que não atrapalhe o relacionamento com uma nova babá. "Não há problema em manter o contato se tiverem bom senso.


Quando existir uma nova babá, é importante que ela tenha a oportunidade de conquistar a criança. A presença constante da babá anterior pode atrapalhar essa passagem".

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente