Não é o papai

Mais um obstáculo a ser superado na criação da pequena: como dividir a mamãe com o namorado? Não é fácil admitir, mas o fato é que a Marcelle já estava acostumada a ter a mamãe só pra ela, porque eu e seu pai nos separamos quando ela tinha entre 6 e 8 meses, então ela não tem uma lembrança concreta de que um dia eu tive alguém mais pra cuidar e dar carinho do que ela. Então, agora é ciumeira pura, e hoje ela conseguiu chegar ao extremos de uma mudança radical de comportamento, acho que é uma tentativa de chamar a atenção.

A que ponto chegamos: ela esperneando, gritando, chutando, fazendo um alvoroço porque não queria ir pra escola, depois de uma noite mal-dormida em que acordava chorando sem motivo a toda hora... Stress puro, e ainda aquela "ajudinha" daquelas que compartilham a casa comigo, gritando comigo como se eu estivesse "matando" minha filha quando na verdade a única coisa que estava fazendo era tentando impor algum respeito naquela situação.

São coisas que realmente não têm explicação. Ciúme da mamãe, ok, eu entendo, mas a fase de adaptação parecia estar indo de vento em popa, ontem mesmo ela e meu namorado estavam entrosados, brincando juntos enquanto eu lavava a louça e não podia dedicar toda a minha atenção a ela. E, de uma hora pra outra, esse comportamento extremado, que conseguiu me tirar do sério completamente... Haja jogo de cintura e calma nessa hora, minha gente! Já vi que vou ter q recuar e começar do zero mais uma vez, aumentando a convivência aos poucos, criando um afeto legal entre minha filha e meu namorado, até a hora que ela sentir segurança e entender que a mamãe sempre será a mamãe, e que meu namorado não é seu papai, mas pode ser um grande amigo.

Comente

Assuntos relacionados: filhos relacionamento ciúme namorado