Meu filho não tem amigos

Meu filho não tem amigos

Saber que seu filho, seja ele criança ou adolescente, é rodeado e querido por seus amigos é motivo de alívio e conforto para os pais. Mas, e quando isto não acontece? O isolamento durante a infância ou adolescência, dizem os especialistas, é motivo, sim, de preocupação e deve ser investigado.

Segundo Ivete Gattas, psiquiatra assistente da Unidade de Psiquiatria da Infância e Adolescência da Unifesp, os motivos que justificam o isolamento social das crianças estão ligados desde ao despreparo dos pais em ensiná-las a se sociabilizar até doenças, como a fobia social ou transtorno de déficit de atenção, entre outras.

"Até os dois anos, a criança não tem muita interação social fora de sua casa. Mas, a partir desta fase, ela passa a se interessar em fazer amiguinhos e cabe aos pais estabelecer as relações sociais do filho, levando-o, por exemplo, a passear em locais onde haja contato com outras crianças", diz a Dra. Ivete. "Muitas crianças acabam seguindo o exemplo de pais que também não mantêm muitos amigos, não recebem e nem fazem muitas visitas e acabam se isolando".

Na fase da adolescência dos filhos, diz a psicóloga professora do curso de Piscologia da PUC-SP, Isabel Kahn, também é importante que os pais se policiem e não caiam no erro da superproteção.

"O adolescente passa por diversas fases. Os pais que sempre os proíbem de frequentar festas, por exemplo, acabam afastando-os dos amigos e fazem com que eles se retraiam. Para ajudar, eles devem primeiro observar, identificar aquilo que os filhos gostam e ajudá-los a encontrar o ambiente ideal. Se gostam de esportes, por exemplo, é bom incentivá-los a frequentar um clube ou algo parecido".


Ainda segundo a psiquiatra Ivete Gattas, é realmente preciso que os pais estejam atentos à questão, pois as consequências futuras para uma criança ou adolescente que não têm amigos são cruéis. "É importante que os adolescentes se agrupem para descobrirem suas identidades. Se eles ficam isolados, podem acabar sem identidade própria, sem relacionamentos amorosos ou de amizade na fase adulta. Também podem ter dificuldades em conseguir um emprego e até mesmo o aprendizado acaba comprometido".

Por Adriana Cocco

Comente