Meninas nem sempre dão mais trabalho

Meninas nem sempre dão mais trabalho

Algumas são mais delicadas, outras mais espevitadas. Apesar dos diferentes temperamentos, as meninas tendem a ser criadas cheias de mimos e cuidados. Mas será que elas dão mais trabalho do que os meninos?

Segundo Rosalba Filipini, psicóloga, psicodramatista e professora da PUC-SP, a resposta é não. "Cuidar de meninas não dá mais trabalho, mas costuma dar mais gastos dependendo do desejo da família. As diferenças são individuais e não de gênero. O temperamento da criança, aliado ao clima afetivo familiar e a capacidade de oferecer cuidados dos pais, é que gera facilidades ou dificuldades na educação", afirma.

A psicóloga conta que, quando bebês, a diferença entre meninos e meninas é mínima, sendo observada apenas pela cor das roupas, do quarto e dos adereços em geral. Nesta fase, tudo o que for colorido é muito esperado e desejados pelos pequeninos, independentemente do sexo. As diferenças se acentuam ao passo em que eles vão crescendo.

"Essa diferença está bastante centrada nos valores culturais que temos, especialmente nas de gênero, ou seja, o que a nossa cultura considera certo para meninas ou meninos. Nesse aspecto, a nossa sociedade e o comércio oferecem milhões de possibilidades para os dois sexos, diferenciando-os ainda mais", explica Rosalba.

Além disso, o fato de que as meninas são criadas com mais cuidados por serem consideradas mais frágeis, acaba gerando essa falsa impressão de que dá mais trabalho cuidar delas. Para a psicóloga, por pensarem assim, os pais acabam tendo cuidados maiores, além de mais paciência na educação. "Temos, por outro lado, a tendência a achar que os meninos, se tratados com muita delicadeza, podem não se tornar homens fortes e maduros no futuro".

Quanto ao vestuário a mesma coisa acontece. Por serem maiores as opções para montar o guarda-roupa das meninas, dá-se a impressão de que se gasta muito mais. Porém, o mercado de roupa para os meninos é mais caro e tem menos opções. Uma bermuda pode custar o equivalente a três vestidinhos.

"Os garotinhos vestem basicamente bermuda e camiseta e assim será até o término do seu crescimento. Eles precisam de roupas que permitam muita flexibilidade e agilidade de movimentos. Já as garotinhas, além da bermuda e camiseta em ocasiões quase raras, usam vestidinhos, saias, blusinhas de todos os tipos, sapatinhos e sandálias, sem contar os adereços. Elas são vestidas para não se sujar e não se descabelar, ou seja, os pais preferem que elas fiquem como ‘princesas’ ou ‘bibelôs’", ressalta Rosalba.

A psicóloga revela que nada desses cuidados extras com o sexo feminino na infância significa que elas são mais mimadas pelos pais, mas sim que são apenas maneiras diferentes de criação.


Outro ponto bastante diferente e mais notado quando as crianças crescem um pouco são as demonstrações de carinho em público. Rosalba comenta: "O que acontece é que, com as meninas, os afetos podem ser muito mais explícitos, os seja, todos podem enchê-las de beijos que não há problema. Já com eles, muito carinho leva à ideia de fraqueza ou até mesmo de problemas com a sua sexualidade, conceitos errados de uma sociedade baseada numa cultura de gênero".

Sendo falso o mito de que elas dão mais trabalho na infância, vale lembrar que, independente do sexo, as crianças em geral têm diversas características e são muito diferentes entre si.

Por Carolina Pain (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: filhos crianças