Medo ou Respeito?

Não quero com esse post tentar ensinar ninguém como criar, como educar uma criança. Apenas contarei coisas que se passaram comigo e com meus irmãos, quando éramos crianças.

Educar uma criança baseando-se no medo não é nada bom para ela. Você deixa de criar alguém capaz de enfrentar qualquer tipo de obstáculo na vida, para criar uma pessoa que se tornará, no futuro, alguém inseguro e incapaz de agir com as próprias pernas, incapaz de viver sem um apoio.

Quando criança, nosso pai pregava a autoridade através do medo. Se fizéssemos algo de errado, caíamos na porrada. Era uma surra bem dolorida, que deixava marcas profundas em nossos corpos. Quem mais pode falar sobre isso, é meu mano mais velho e eu. Vivíamos brigando. Isso é normal entre irmãos. Mas, nossas brigas sempre acabava em uma bela surra dada por nosso pai.

Não nos tornamos adultos revoltosos. E isso, acho que devemos ao modo particular e único de ser de minha mãe. Enquanto nosso pai causava-nos medo, principalmente quando estava embriagado, nossa mãe nos transmitia segurança, esperança, fé?

Deixei de ter medo de meu pai quando ele me chamou, pela primeira vez, para uma conversa séria. Ele se mostrou uma pessoa toalmente diferente da que temia. Passei a respeitar muito aquele homem. E com isso, aprendi a ver nele qualidades que antes não via. O medo não deixava. E do respeito, veio a admiração.

Minha mãe aprendemos a respeitá-la desde muito cedo. Ela nos fez assim. Admirá-la é muito fácil. Possui uma força, uma determinação que não vejo em muitas mulheres. Para ela não tem tempo ruim. Mesmo quando passamos por dificuldades, faz dos problemas motivos para rirmos. Faz de tudo para não nos sentirmos mal.

Demorou muito tempo para transformar o medo que sentia de meu pai, por respeito. Mas, fico feliz por ter acontecido essa transformação.

Nunca é tarde para agirmos corretamente.

Pense bem em que tipo de homem ou mulher você está criando para o mundo.

Sentir medo é o mesmo que ausência de segurança em si mesmo. Mude enquanto é tempo. Torne seu(sua) filho(a) uma pessoa segura de si e, através de seus bons exemplos, faça-o(a) ter respeito por você. Nunca medo ou desprezo ou vergonha ou revolta? O que pode ser pior. Filhos revoltados são mais proprícios aos riscos que a vida pode oferecer.

Comente