Malhar demais pode causar doença

Malhar demais pode causar doença

Adolescentes são mais suscetíveis a desenvolver vigorexia.

Passar tempo demais na academia pode ser sinal de que alguma coisa está errada com seu filho. Com tantas referências ao corpo perfeito na mídia, os adolescentes são os mais suscetíveis a desenvolver vigorexia, um distúrbio psicológico em que o jovem se vê mais magro do que realmente e começa a malhar demais.

A vigorexia é similar a uma doença bastante conhecida, a anorexia. Em ambas, os jovens não ficam satisfeitos com seu corpo e perdem a medida para conseguir o que quer. A obsessão por exercícios físicos começa, quando o jovem acha que ainda não está tão forte quanto deveria.

Caso o seu filho já tenha ganhado músculos suficiente para a estrutura corporal dele, é bom ter uma conversa e tentar descobrir se ele desenvolveu a doença. "Assim como na anorexia, o vigoréxico distorce a própria imagem. Mesmo quando já está forte e com físico bem definido, ainda se enxerga magro e fraco, sensação que apenas se ameniza após a prática exaustiva de exercícios", explica o especialista em metabologia e fisiologia do exercício, Dr. Mohamad Barakat.

Segundo o médico o distúrbio afeta principalmente os homens, mas que muitas meninas já estão apresentando os primeiros sinais. Em muitos casos, a situação pode chegar ao extremo, recorrendo a artifícios além dos exercícios.

"Isso acontece porque a população é constantemente bombardeada com referências sociais e culturais quanto ao corpo perfeito e, assim, não satisfeitos com os resultados dos exercícios e na fissura de conseguir melhores resultados, algumas pessoas recorrem ao uso de anabolizantes, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares, lesões hepáticas e disfunções hormonais que afetam diretamente o funcionamento do sistema reprodutor", afirma.

Nestes casos os pais precisam assumir seu papel de autoridade e buscar tratamento adequado para seus filhos. Além de analisar a quantidade de tempo que o filho passa na academia, é possível detectar a doença a partir de outros indícios. Segundo Barakat, as consequências da prática compulsiva de atividades físicas vão desde insônia, falta de apetite, irritabilidade, desinteresse sexual, fraqueza, cansaço constante e dificuldade de concentração até, em casos mais graves, problemas físicos e estéticos, como desproporção displásica, problemas ósseos e articulares devido aos pesos excessivos, falta de agilidade e encurtamento de músculos e tendões. É bom ficar de olho!

Por Mariana Benjamim

Comente