Mães opinam sobre a presença de crianças nos estádios da Copa

filhoscopa

Foto - Shutterstock

O assunto Copa do Mundo não foi só assunto na mídia, mas também nas conversas do dia a dia com amigos e familiares. Com tanta polêmica envolvendo o maior campeonato de futebol do mundo como os protestos contra ao evento, algumas mães de filhos pequenos reavaliam a situação e não se sentem seguras com a possibilidade deles irem aos jogos.

Déborah Gaiotto, 31 anos, é mãe de Rafael, de três anos, e adoraria levar seu filho ao estádio para ver a Seleção Brasileira jogando, mas com a onda de manifestações, cada vez mais violentas, ela não sente segurança para expô-lo desta maneira. "Se não tivesse tanta violência em torno do assunto Copa no Brasil, eu estaria mais tranquila, mas com a atual situação é impossível encarar um dia de jogo no estádio."

Já Leila Hamra, fonoaudióloga e mãe de Julia e Augusto, diz que jamais permitiria seus filhos num evento como este, mesmo que ganhasse os ingressos. "Não confio na segurança dos locais. Acho que os casos de violência junto a possíveis manifestações antes ou após os jogos não serão controladas! Impossível achar que será um passeio agradável para a família!".

Enquanto Felipão diz que seu único problema é com o que acontece dentro dos estádios, as mães protetoras se preocupam com o que pode acontecer fora deles. Em clima de guerra, a Copa chega ao país dividindo multidões. "Estamos vivendo o caos de uma população inconformada com tantas negligências em relação ao nosso governo, e acredito que não só os estádios estarão oferecendo risco, mas qualquer lugar fora de casa", diz Sibelle Pazinato, mãe de Eduardo.

E a dica para mães que já compraram os ingressos, depois do incrível método de sorteio para assistir aos jogos, Leila acredita que a melhor solução seja "sair antes de acabar o jogo. Não ir de carro e sim utilizar o táxi."

Mães que se organizam para levar seus filhos

Com tantas manifestações e ações duvidosas sobre a segurança do evento, algumas foram contra em ter seus filhos no estádio, porém, já outras foram capazes de esquecer os possíveis perigos e resolveram montar um esquema especial para acompanharem eles durante os jogos.

Este foi o caso de Marisa Bueno, mãe de Guilherme (9 anos) e Vivian (6 anos). Ao lado de amigas, também com filhos da mesma faixa etária dos seus, ela montou um planejamento para garantir a segurança e a diversão da garotada. "Reunimos um grupo para ver a abertura. Nas camisas, colocamos um emblema de identificação. As crianças levaram com eles os números de telefones marcados em um papel/celular e marcamos um ponto de encontro caso alguém se perdesse."

Atitudes simples como esta de Marisa e suas amigas garantiram a todos uma tarde no Itaquerão de muita diversão e calma. Tudo saiu como o planejado e melhor do que esperavam. "As crianças foram ótimas. Obedeceram nossas regras e seguiram nosso planejamento. O evento foi muito mais seguro do que imaginávamos", disse Marisa.

Se o seu desejo e de seu filho é ver um jogo do mundial, o importante é planejar com antecedência a sua ida aos estádios. Com os transportes públicos lotados e o trânsito intenso, saia algumas horas antes do início do evento. Converse com os pequenos e explique como funcionará o esquema se eles quiserem ver partida. Informe-os sobre os perigos, mas sem amedrontá-los.

Marisa dá uma última dica para os pais torcedores. "Leve uma conversa franca e clara com seu filho todos os dias antes da data do jogo. Explique como funciona o programa como se estivesse em uma grande brincadeira, e o prepare psicologicamente, tentando acalmá-lo, pois as crianças tendem a ser muito ansiosas em eventos como este."

Apesar dos últimos atos violentos que o país vem enfrentando, os brasileiros podem e devem curtir a Copa ao máximo, torcendo pelo Brasil e envolvendo as crianças nesta grande comemoração.


Por Kelly Jamal

Comente