Mães de meninos - como orientar sobre a primeira ejaculação

Mães de meninos  como orientar sobre a primeira ej

Entender que suas meninas estão passando da infância para a adolescência é um passo importante, mas comum para milhares de mães que recebem para isso um sinal inconfundível: a primeira menstruação. Mas, e os meninos? Quando é possível perceber que estão tornando-se rapazes e, mais que isso, como orientá-los diante das transformações físicas e psicológicas pelas quais começam a passar? Para muitas mães, mulheres em primeiro lugar, a tarefa não é das mais simples. É preciso estar atenta!

O primeiro sinal de que seu filho está virando um rapazinho é a ocorrência da primeira ejaculação, aproximadamente entre os 12 e 13 anos. Isso não quer dizer que com esta idade os garotos já terão desenvolvido sua vida sexual. Esta é apenas a confirmação de que sua linha de produção de espermatozóides entrou em ação.

A exemplo da primeira menstruação das meninas, que é chamada menarca, a primeira ejaculação dos meninos é denominada semenarca e ocorre de forma bastante variada. Em geral, vem durante o sono (polução notruna). E quando o menino acorda, pode até achar que fez xixi na cama!

Esta pode ser a hora de uma boa conversa entre mãe e filho. Explique a ele que polução noturna é uma ejaculação involuntária que ocorre durante o sono e deixa mesmo os meninos confusos. E que isso pode ocorrer até mesmo na fase adulta, pois esta é uma forma que o corpo encontrou para eliminar os espermatozóides acumulados.

É muito comum que a primeira ejaculação aconteça na fase do estirão de crescimento, quando os garotos têm um ganho rápido de altura. E você irá notar que, daí por diante, seu filho perderá o aspecto infantil num piscar de olhos.

"Diversas transformações típicas da adolescência acontecem: interesse pelo sexo, conflitos internos de ajuste (ele não é mais criança e ainda não é adulto), rebeldia, aumento de pêlos, oscilação e engrossamento da voz", diz o Dr. Renato Fraietta, médico urologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Ele ressalta que não há necessidade de levar o menino ao médico, a não ser em casos de desajuste intenso ou atraso muito importante do desenvolvimento puberal.


Informação importante para mães e filhos: o fato de a primeira ejaculação já ter ocorrido não significa que o menino já esteja pronto para uma vida sexual, e muito menos para ser pai! Por sinal, se ele for pressionado a fazer sexo sem estar confiante para isso, pode criar traumas causados pelo desprazer. Tudo a seu tempo...

Por Adriana Cocco

Comente