Mãe sem empregada

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Mãe sem empregada

No nosso país, onde pais e mães trabalham fora, muitas casas contam com ajuda de empregadas domésticas, sejam faxineiras, passadeiras, babás ou diaristas, que muitas vezes fazem o papel dos pais, principalmente no cotidiano escolar.

Na maior parte das vezes, essa ajuda é essencial para o funcionamento da casa, e ela deve ser priorizada, pois para pais que passam o dia fora de casa é muito bom quando eles podem chegar em casa e dar atenção aos filhos.

Mas o que fazer quando não temos esses serviços? Seja por condição financeira, incompatibilidade de horários ou falta de confiança dos pais, os serviços domésticos devem ser feitos pelos pais, normalmente pela mãe, e isso deve ser extremamente programado para que não prejudique a quantidade e a qualidade do tempo com as crianças.

Após nove anos com empregada, devido à mudança dos horários da família, ficamos sem uma profissional, já que ela não aceitou a mudança no seu horário de serviço. Por trabalhar fora, no mesmo horário que as crianças estão na escola, não pude substituir imediatamente seus serviços, já que uma nova pessoa dentro da sua casa necessita de adaptação junto com a patroa, e não tenho esse tempo disponível diariamente, já que mesmo durante a tarde, temos atividades externas.

Então iniciei a tripla maratona de mãe: dona de casa e professora, e após um mês, tenho um bom balanço dele.

É claro que é cansativo, ainda mais em uma casa com apenas uma mulher: são dois meninos, o pai e um cachorro para administrar horários, roupas e objetos, além da limpeza e organização dos cômodos da casa. Para isso criei uma tabela, com os principais afazeres da casa. Arrumação das camas, varrer, passar rodo, recolher lixo, lavar banheiros, e outra com os afazeres que não podem ser esquecidos, como limpeza de vidros, trocar toalhas e roupas de cama, lustres, e coloquei-os num mural da cozinha, com os dias do mês. Cada vez que uma tarefa é concluída, é feito um x no dia em que a fiz. Desse modo, consigo visualizar o que devo fazer no dia seguinte, o que estou fazendo demais e o que fiquei devendo.

Procuro também envolver as crianças na ajuda e elogiar sempre que o fazem, e optei em comer alguns dias fora de casa, que economiza tempo no preparo e na arrumação da cozinha, além disso vira um passeio e um momento de conversa entre nós.


Alguns países não têm costume de ter empregados domésticos e, por isso, possuem muitos eletrodomésticos e serviços facilitadores para o lar. Com esse conceito, pretendo aos poucos estar equipada para poder dar conta da minha própria casa, o que também traz vantagens. Você encontra tudo o que procura, já que é você quem guarda. Você divide seu tempo e descansa durante o período, e com a economia pode gerar utensílios facilitadores ou passeios.

Michelle Maneira é pedagoga, com pós-graduação em psicopedagogia e especialização em tecnologias educacionais, professora de educação infantil da rede pública.
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente