Mãe com manual de instruções

Uma vez uma amiga me disse que estava achando muito difícil esse negócio de ser mãe nos dias de hoje. Não por causa da dupla jornada nem pela maior independência dos filhos. O que a incomodava era que a intuição das mães havia sido substituída pelo “manual de instruções”.

Ela se referia ao vasto acervo a que somos expostas, todos os dias, de publicações e receitas do que devemos e do que não devemos fazer para criar filhos saudáveis e emocionalmente felizes. Claro que há um lado super importante nessa informação que hoje circula entre nós. Ela evita que cometamos erros muito graves na educação de nossos filhos. Mas há um lado perverso também nessas informações que nos aprisiona. Hoje, para sermos vistas como boas mães, pelos outros e por nós mesmas, parece que temos que seguir o que o manual manda, mais do que nos guiar por nossos instintos e intuições maternas.

Acredito muito que devemos sim ler tudo que cai em nossas mãos sobre o assunto e correr atrás do que nos interessa. Mas para não ficarmos malucas tentando fazer tudo o que os especialistas dizem, devemos ter a nossa própria diretriz de educação, aquilo em que acreditamos e que julgamos que será melhor para nós e para nossos filhos. Devemos ler as dicas do manual com essa nossa lente, e adotá-las ou não, dependendo do nosso gabarito pessoal.

Leia também:

Filhos de equilibristasCecília Russo Troiano é psicóloga, sócia-diretora da Troiano Consultoria de Marca e autora do livro “Vida de Equilibrista”. Casada e mãe de 2 filhos, ela afirma que é mãe equilibrista, vive sua vida tentando equilibrar “pratinhos”. Email - cecilia@troiano.com.br. Venda do seu livro pelo site www.vidadeequilibrista.com.br

Comente