Mãe com câncer terminal deixa herança emocionante ao filho

Mãe com câncer terminal

Sempre que o pequeno Freddie Darby, de três anos, precisa falar com sua mãe e não a encontra, ele recorre ao seu ursinho de pelúcia com poderes especiais. Como que por magia, basta o garoto sussurrar no ouvido do brinquedo e a mensagem vai chegar até sua mãe.

Essa foi uma das ideias criativas que Rowena Darby, de 33 anos, encontrou para manter o vínculo com o filho. Em agosto de 2012, ela descobriu que estava com câncer terminal e desde então busca alternativas encantadoras para se conectar com Freddie.

"Eu disse a Freddie que seu ursinho de pelúcia tem uma linha direta com a mamãe para quando eu não estou lá", contou.

Assim que soube que o câncer de intestino estava avançado demais, tirando sua chance de uma longa vida, decidiu que não passaria os últimos meses se lamentando: "Eu não posso desperdiçar o meu tempo chorando. É claro que já passei por maus momentos, pois a última coisa que quero é deixar o Freddie. Por isso, eu não posso deixar que meu tempo seja absorvido pela tristeza já que isso não fará bem algum. O mais importante é passar o maior tempo possível com o meu filho, deixando memórias incríveis para que ele se lembre de mim quando eu não estiver mais por perto".

A forma que Rowena encontrou de deixar sua lembrança mais viva do que nunca para o herdeiro foi criando surpresas para o futuro. Além de gravar um CD com suas músicas favoritas, ainda abriu uma conta de email e enviou várias mensagens sobre como ela era, suas falhas, o que a deixava feliz ou aborrecida.


A mamãe ainda fez cartões de aniversário e Natal até que Freddie complete 21 anos. Datas importantes como primeiro dia de aula, formatura e até casamento também ganham cartinhas especiais, já que é improvável que Rowena esteja presente.

Dentro das mensagens, feitas à mão, estão textos de apoio, conselhos e sentimentos como: "Toda vez que você olhar para o céu , lembre-se que é como é grande o meu amor é para você".

De forma alguma, a brava guerreira quer que a morte seja vista como algo triste ou injusto. Tanto que, para dar força à família e aos que se inspiram com sua história, plantou uma árvore ao lado de um banco com a seguinte inscrição: "Para Phil e Freddie: a morte não existe. As pessoas só morrem quando nos esquecemos delas. Se vocês puderem se lembrar de mim, eu estarei sempre com vocês."

Por Alessandra Vespa

Comente

Assuntos relacionados: filhos câncer mãe morte