Licença-paternidade – direitos iguais

Benefícios do vínculo entre pai e filho
licença-paternidade

foto: iStock

Por que cuidar de bebê logo após seu nascimento deve ser coisa só de mãe? Embora não tão comum a licença-paternidade existe e pode ser um momento tão importante na vida do bebê quanto do pai.

Aqui no Brasil os homens têm direito apenas a cinco dias corridos de licença, enquanto as mulheres tem quatro meses de licença remunerada. Por que não haver direitos iguais nesse caso também?


Afinal de contas, a figura paterna também é relevante no momento em que a criança nasce e tem suas primeiras experiências de vida. Embora não seja essencial na hora da amamentação, a experiência que o homem tem de reconhecer os primeiros movimentos, dar banho, colocar a fralda, etc, também é um período de intenso aprendizado e criação de fortes laços emocionais.

Diferente daqui, na Suécia, tanto o pai quanto a mãe têm, juntos, direito a 480 dias de licença remunerada para cuidar do bebê. Cada um é obrigado a tirar pelo menos 60 dias e pode dividir os outros como quiser com seu parceiro. Dessa forma, os pais suecos podem tirar até 14 meses de licença-paternidade remunerada.

Isso mostra um aspecto diferente do homem de hoje, o homem que consegue conciliar uma carreira bem-sucedida e ser um pai responsável,engajado na criação de seus filhos, tornando a vida com eles muito mais saudável e completa. Assim as crianças adquirem tanta confiança na mãe quanto no pai, dividindo as responsabilidades do casal na medida certa.

Por Jessica Moraes

Comente

Assuntos relacionados: licença paternidade