Jogo de baralho ajuda crianças a lidarem com as emoções

Baralho das Emoções

Foto Divulgação

O Projeto Baralho das Emoções é na verdade um livro lançado por Marina e Renato Caminho com o propósito de ajudar crianças a acessarem suas emoções junto à Terapia Cognitiva-Comportamental.

Trabalhando com meninos e meninas de até 12 anos, o projeto busca mudanças no comportamento infantil. Sabe quando a criança tem dificuldades de socialização, ou ainda é excessivamente retraída, medrosa ou triste? Tem problemas na alimentação, associação no estudo e até de sono? Pois então, de acordo com os especialistas, todas essas questões encontram suas respostas nas emoções.

Renato e Marina atendem pacientes com casos de enfoque cognitivo-comportamental na clínica do INFAPA, no Rio Grande do Sul. Foi com essa experiência que conseguiram analisar as dificuldades do processo e montar o livro, que preenche o vazio nesse tipo de especialidade. "Sentíamos falta de um material apropriado para a clínica cognitivo-comportamental focada na criança", conta a terapeuta.

Os problemas parecem ser comuns das atitudes infantis, mas merecem atenção, como conta Marina: "As famílias que procuram atendimento chegam às vezes com problemas inespecíficos de simples manejo como birra e limites, mas na maioria dos casos os problemas já constituem um nível de prejuízo maior como hiperatividade, depressão ou ainda quadros mais importantes de ansiedade e transtornos de conduta".

E aí entra o "Baralho das Emoções", que propõe ampliar o repertório das crianças em seus próprios sentimentos e dos que estão ao seu redor. "Além das cartas do baralho, o material atualmente contém um manual e um CD com formulários eletrônicos que possibilitam que as crianças ou mesmo adolescentes monitorem seu humor ao longo da semana ou mês. O CD também conta com material destinado aos pais que também avaliam as emoções dos filhos e suas respectivas intensidades", explica a escritora.


Os resultados, de acordo com a especialista, são positivos: "As mudanças surgem na medida em que as crianças conseguem identificar suas emoções, externalizando-as e conseguindo associar quais pensamentos e comportamentos as acompanham, permitindo pensar no que fazer quando elas surgem, aumentando seu repertório emocional, cognitivo e comportamental". Lembrando que o ambiente familiar também é de extrema importância: "Quando encontramos famílias colaborativas os resultados costumam ser bem favoráveis e relativamente rápidos", explica.

"Diante disso, o instrumento Baralho das Emoções contempla através de sua dinâmica todos os itens necessários para que a criança expresse, nomeie e entenda as suas emoções", esclarece a autora. O livro já está à venda custando em média de R$ 80 a R$ 90.

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente