Intercâmbio internacional cresce entre crianças

Intercâmbio internacional cresce entre crianças

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

O intercâmbio internacional, antes muito procurado por jovens após finalizarem o ensino médio ou universitários, cresceu consideravelmente no último ano também entre crianças e adolescentes, dos 7 aos 17 anos, que viajam a estudos nas férias ou optam por fazer um semestre dos estudos em outro país, cursado em outra língua, que também pode ser válido como seu ensino regular no Brasil.

Entre os facilitadores que permitem que os estudantes vivenciem um período de intercâmbio cultural em outro país está o aquecimento da economia interna e o entendimento dos pais de que, quanto mais cedo os jovens entrem em contato com outras culturas, mais rápido eles amadurecem e adquirem experiência determinante para se posicionar frente às diversas situações da vida e garantir um bom futuro profissional.

Dados da empresa CI Intercâmbios de Porto Alegre revelam que o crescimento da demanda por produtos como High School e intercâmbio teen chegou a 300% no primeiro trimestre deste ano, em comparação ao mesmo período de 2011. A empresa embarca uma média de 1,5 mil a 2 mil jovens por ano, principalmente nos meses de janeiro e julho.

Outra escola que registra grande procura pelos cursos de férias é a World Study, que registrou aumento de 50% de busca pelo intercâmbio por crianças e adolescentes em 2001, em comparação a 2010.

As duas empresas ofertam produtos semelhantes para o público de 7 a 17 anos, promovendo viagens que mesclam atividades e passeios relativos às férias de janeiro ou julho, mas que incluem também um curso de idiomas ou a possibilidade de cursar um ou dois semestres do ensino médio em uma escola do Exterior.

Os programas incluem aulas no período da manhã e atividades extracurriculares e passeios turísticos à tarde, sempre possibilitando que o intercambista esteja constantemente em contato com o idioma local, contando com a supervisão de profissionais especializados nas atividades escolares e passeios.

No caso dos programas de férias ofertados no mercado de intercâmbio para jovens não é necessário ter alto nível de entendimento da língua local. O estudante faz um teste de nivelamento e é acomodado em uma turma compatível.

Já aquele que escolhe cursar um ou dois semestres do ensino médio fora do País precisa ter maior domínio do idioma atrelado ao destino eleito, uma vez que o período de estudos fora contará como tempo letivo quando o mesmo retornar ao Brasil.

Os valores dos pacotes variam de acordo com o destino e a variação da moeda, podendo custar a partir de US$ 7 mil (EUA) até US$ 15 mil (Canadá e Austrália). Estes custos cobrem hospedagem, alimentação, material escolar, passeios e escola. O valor da passagem deve ser pago à parte.

Crianças no exterior

Também existem pacotes para crianças com menos de 5 anos. A Escola Dice English Course leva grupos de estudantes que fazem curso de idiomas para intercâmbios que incluem aulas numa escola americana e visitas aos parques da Disney. O objetivo do intercâmbio é proporcionar à criança a imersão no idioma e a vivência pedagógica em outro país, com atividades condizentes a sua faixa etária. Os alunos até realizam uma exposição sobre o Brasil para outros colegas estrangeiros.

Para participar, as crianças devem ter noções de inglês, para não chegar no país sem entender nada, também precisam estar num bom momento familiar, estáveis emocionalmente. No ano antes da viagem, as crianças passam por uma preparação e aprendem todas as regras a serem obedecidas enquanto estiverem longe dos pais.


Os especialistas não recomendam a experiência tão cedo, pois até os 7 anos, os pequenos são muito dependentes dos pais, por mais que tenham pessoas queridas e conhecidas por perto, sentem falta da rotina, da casa, da comida e da vivência familiar.

Por Carmem Sanches

Comente