Infecção urinária aumenta nas férias

Férias aumentam chances de contrair infecção uriná

Na época das férias as crianças tendem a frequentar mais praias e piscinas, com isso aumentam as chances delas terem uma infecção urinária.

Geralmente, as meninas são às mais susceptíveis à doença, por terem o canal da uretra mais curto, diminuindo o caminho para as bactérias e fungos, causadoras da doença também conhecida como cistite, explica o urologista Caio Cintra. "Sabemos que cerca de dois terços experimentam, no mínimo, um episódio da doença ao longo da vida, sendo que 23% têm dois episódios e 5% têm recorrências", explica.

Segundo o médico, os principais sintomas da doença são ardor ao urinar, vontade constante de ir ao banheiro ou sangue na urina. "As infecções urinárias simples, normalmente são tratadas em três dias com antibióticos específicos. Mas, em casos mais sérios, quando o quadro evolui para uma pielonefrite, o especialista relata sintomas como febre, confusão, náuseas e vômitos, o que é um sinal de que as bactérias se espalharam para a corrente sanguínea e, neste caso, pode ser necessário internar o paciente para tratamento endovenoso por de sete à 21 dias", afirma.


Para evitar que seus filhos contraiam a doença é importante orientá-lo para não segurar a urina por muito tempo. As crianças quando estão na piscina ou na praia geralmente não pedem para ir ao banheiro por medo da brincadeira acabar. Outro fator importante é a higienização correta. Se o seu filho já toma banho sozinho é bom verificar se ele está fazendo corretamente, principalmente depois de um dia no clube ou na praia.

Por Mariana Benjamim

Comente