Filhos x limites

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Filhos x limites

A criação dos filhos é algo que exige um grande investimento de nosso tempo. Não podemos deixar nada para resolver depois quando o assunto é filhos. Se quisermos colher bons frutos no futuro temos que nos programar para atender as solicitações dos filhos e observar a maneira que os mesmos se socializam com as pessoas a sua volta sempre usando o bom senso e não invadindo.

Daqui por diante no meu blog vou direcionar alguns textos para melhorar o relacionamento de pais e filhos e orientar os que estão começando essa tarefa e que ainda não sabem que caminho seguir. O amor é papel importante na vida de qualquer ser humano e às vezes deixamos só o coração trabalhar na educação, ficamos com peninha das crianças e mimamos demais. Temos que colocar na balança nossas ações e direcionar os pequeninos a se tornarem adultos “Normais” e seguir as normas de uma sociedade

Não podemos mais nos assustar com matérias de jornais onde filhos matam pais e vice-versa, isso é fruto de permissões e limites que não demos aos filhos. Os pais de hoje não sabem o que é melhor “bater”, “conversar” ou botar de castigo. O que não podem e não devem é ignorar ou desistir ao primeiro problema. Filho é responsabilidade dos pais, então educação vem nesse pacote que você escolheu, cabe a você essa tarefa que não pode ser delegada a mais ninguém.

Leia, informa-se, converse tente alguma coisa. Tenho certeza que encontrará o caminho e formará crianças saudáveis de mente e corpo, crianças que vão respeitar os mais velhos e que quando adultos serão respeitados e saberão dar continuidade à criação dos próprios filhos. O que falta a nossa sociedade impor limites e respeito ao próximo. Porque todo mundo diz “antigamente as crianças não eram assim” os pais perderam um referencial porque a criação passada era muito autoritária e não queriam passar essa forma de imposição aos filhos e deram lugar as conversas, o que esta certo, mas esqueceram de impor limites para as crianças e elas passaram a fazer tudo que tinham vontade e a receber tudo que queriam, a palavra “Não” foi tirada da educação e os pais tornaram-se os bonzinhos e no futuro vão perceber que erraram ao permitir tudo. Enquanto são pequenos, temos a chance de moldar nossos filhos atitudes positivas que lhes serão úteis na vida adulta. Ou podemos escolher passar o tempo mais tarde na vida deles resolvendo os problemas e confusões em que podem se meter quando ficarem mais velhos. Com toda a certeza teremos de investir tempo. Porém, cabe a nós quando este tempo será gasto.

Um exemplo:

"Nunca mais quero ir para a escola. Minha professora aquela bruxa me odeia. Ela me colocou de castigo porque bati naquele garoto chato."

Tem pais que deixaram de lado o que a filha falou para ficarem livres do problema ou vão encorajar a bater quando a professora não estiver olhando. Existem pais que ainda dirão se você voltar chorando que apanhou vai apanhar quando chegar em casa, se tiver que dar porrada dê, o que não pode é você apanhar. Gente! Que pai é esse, que limites essa criança vai ter no futuro, suas atitudes serão sempre na base da agressividade. Isso é mal, pense no que fala a criança, pense em que esta encorajando. No futuro não vai escutar nenhuma crítica de patrão, de marido ou dos próprios pais. Talvez não se estabeleça em nenhum emprego, terá vários relacionamentos desfeitos por não aceitar críticas ou discutir sobre elas. O que temos que fazer numa situação dessa, comece a fazer sua lição a partir de agora, é hora de educar. Pare o que estiver fazendo e dê atenção ao que ela (e) esta falado a você, pergunte porque o bateu? Você está muito nervosa, vamos com calma e conversar sobre isso. Explique para nós como você esta se sentindo. Quando você diz que sua professora é uma bruxa e a odeia, o que quer dizer, exatamente, com isso? Acha que ela odeia você o tempo todo, ou apenas quando você não obedece às regras da escola? Pensa que a professora estava aborrecida com você como pessoa, ou por aquilo que você fez ou deixou de fazer?" Os pais precisam saber separar a a história, enxergar seu real significado e a interpretação que a menina dava a tudo aquilo.

Depois de uma conversa franca e sem julgamentos, ela vai chegar às próprias conclusões e vai pensar no assunto e chegará a conclusão que teve um castigo pelo que fez, assumindo a responsabilidade do seu ato. Levar a criança a resolver todas as situações que vão aparecer com responsabilidade.

Parece difícil e às vezes perdemos o controle, mas respire fundo e tenha sempre em mente que daria esse conselho a outro pai que estivesse no meu lugar se não fosse sua filha, pense com a razão, deixe o coração de lado. Esse é o caminho de impor limites.

Os pais vão ficar felizes quando a criança disser que nunca mais vai bater no coleguinha e que vai fazer as pazes.

Dê parabéns e digam que estão orgulhos de ter uma filha educada e que reconhece que tem que concertar o que fez e por causa disso no almoço de hoje vou fazer batata frita que você tanto adora. Nada de presentear com coisas caras, ofereça coisas que estejam ao seu alcance, não esquecendo que isso não se deve aplicar sempre, é de vez enquanto, dê carinho, abraços fortes e mostre que você ficou feliz por uma atitude equilibrada e correta.

Conclusão:

A filha entendeu a responsabilidade do seu ato e o que causou a atitude da professora.

Auto-estima positiva, os pais deram à filha o sentimento de que ela é suficientemente importante para ambos os pais pararem o que estavam fazendo para concentrar-se nela e realmente ouvi-la. Ela é importante. Mostraram que a professora não a odiava e sim a estava ajudando a resolver uma coisa que não se pode fazer, tem que respeitar os amigos. A criança aprende a lidar com o que aconteceu na idade infantil. Se os pais não conversarem o simples fato de deixar passar poderá ter proporções maiores mais tarde e os pais perderão o controle, pense, pare, reflita como isso é importante, isso é educar. A criança ganhou a confiança dos pais e não foi julgada, se fortaleceu para outras situações. E os pais se tornaram às pessoas mais importantes para levar qualquer problema sem precisar recorrer a outras pessoas. Encontrou apoio para conversar e foi mostrado que ela tinha que pensar no que aconteceu e tirar as próprias conclusões para resolver, os pais só direcionaram. Os pais tiveram papel importante em conduzir o fato. Não foi difícil, o tempo que dedicou a filha para conversar foi importante e fez a criança pensar, refletir sobre o ocorrido. Estou repetindo muito, é proposital, para que vocês pais sintam a dimensão do que é conversar com um filho.

Teremos muitas outras oportunidades de refletirmos sobre esses assuntos no meu blog. Quero ajudá-los a pensar no assunto. Tenho certeza que vocês estão com uma visão diferente de educar, foi só um toque de um assunto que não se ensina de um dia para outro, os pais só vão aprender quando vivenciar muitas outras coisas das crianças, esses anjinhos que inconscientemente estão cheios de diabinhos atiçando para que eles consigam realizar todas as vontades, nem que para isso tenham que bater, xingar ou mesmo roubar. Estou exagerando? os pais que passam por isso sabem que não.

Ainda da tempo de mudar e encontrar um caminho.

Vamos mostrar valores, vamos dar limites, vamos dizer "não" quando realmente a criança entender o por que do "não" ou mesmo o porque de um "sim", conversem com seus filhos e vocês vão usufruir de um convívio duradouro e feliz em família. E no fim vão suspirar aliviados e dizer: "missão cumprida"

Bjs e até o próximo papo.

Catarina Estevez

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Assuntos relacionados: filhos relacionamento pais amor de mãe