Filhas que atacam o guarda-roupa da mãe

Filhas que atacam o guardaroupa da mãe

Foto da blogueira Maria Nieves Zedeño. Reprodução “Mom Syle Icon”

Desde que nascemos, a nossa primeira - e mais forte - referência feminina é nossa mãe. É ela quem escolhe nossos vestidos e acessórios e faz com que tenhamos o primeiro contato com o mundo da moda. Ainda na infância, uma das coisas mais divertidas para as meninas é colocar aquele salto alto que as mães usam, passar o batom vermelho que ela só usa em ocasiões especiais e colocar todos os colares de uma só vez para brincar de gente grande.

Acontece que essa mania de pegar as roupas das mães podem ultrapassar as fronteiras da infância, fazendo com que muitas mulheres nunca percam a mania de abrir o guarda-roupa daquelas que tanto amamos e nos criaram.

O blog "Mom Syle Icon" é um ótimo exemplo disso. Nele, mulheres escolhem diversas fotos antigas de sua mãe e descreve suas roupas, afirmando o porquê delas serem "um ícone fashion". A blogueira Maria Nieves Zedeño, por exemplo, enviou a foto de sua mãe Maria Mercedes Tibau, que foi tirada em 1973, em Salinas, no Equador. Segundo a blogueira, o look navy com tiara e sandálias de couro faz referência a Audrey Hepburn na Riviera Francesa.

Filhas que atacam o guardaroupa da mãe

Foto/Reprodução "Mom Syle Icon”

Em alguns casos, não é necessário que as sejam antigas, tornando a fascinação pelas peças da matriarca ainda mais intensa. Lívia Ferrari admite que adora "atacar o armário" de Rose Ferrari. Aos 26 anos, ela conta que não fazia isso quando era mais nova, já que era gordinha e pouca roupa servia. "Quando entrei na adolescência eu emagreci bastante e passei a visitar o closet da minha mãe sempre que possível. Lá tem muita coisa e eu gosto da maioria", explica.

Rose diz que não gosta muito desse habito da filha, não pelas roupas, mas sim pela falta de cuidado. Ela ressalta: "Algumas peças eu compro para usar somente em ocasiões mais especiais, porque eu sei o quanto custou. A Lívia chega, pega e usa para ir à padaria".

As duas são muito amigas e falam do assunto com bom humor, sem deixar de dar aquela alfinetada sempre que possível. "A minha mãe volta e meia compra roupas para mim também, achando que assim eu não vou querer as dela. Ela se engana demais, porque eu fico ainda mais feliz em saber que agora tenho o dobro de roupas para usar", brinca.

Para evitar tais invasões ao seu guarda-roupa, Rose chegou a trancar a porta de seu quarto enquanto estava fora. "Nem assim adiantou, era capaz dela pegar mesmo as que estavam usadas ou tinha acabado de ser lavadas. É um negócio impressionante", conta a mãe, aos risos.


Lívia explica que essa fascinação pelas roupas de Rose existe por causa da admiração que ela sente pela mãe, tentando sempre se espelhar nela quando o assunto é moda e acrescenta: "Eu nunca tinha parado para pensar nos motivos pelos quais eu faço isso. Eu acho lindo tudo o que ela compra e fica legal nela. Então, como eu tenho minha mãe como parâmetro e ídolo, eu gosto de me vestir como ela".

Por Carolina Pain (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: filhos crianças