Férias: mais riscos de acidentes domésticos

Férias mais riscos de acidentes domésticos

A morte da filha de quatro anos do ex-boxeador Mike Tyson na esteira de ginástica da própria casa indica mais uma preocupação que os pais devem ter em relação aos acidentes domésticos, principalmente nas férias escolares, quando o número de incidentes aumenta cerca de 30%.

"Os fios desses aparelhos provocam choques e enforcamentos. E, se a crianças colocarem as mãos na esteira ligada, é queimadura na certa", alerta o cirurgião pediatra João Gilberto Maksoud Filho, médico do Hospital Infantil Sabará.

Uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde informa que a cada ano mais de 140 mil crianças são internadas em hospitais da rede pública por conta disso. Queimaduras, intoxicações e outros acidentes que representa para o Serviço Único de Saúde (SUS) um custo no total de 63 milhões de reais.

Nesta época também é bastante comum parentes e amigos ficarem com as crianças, por isso, é importante que os pais os informem sobre os vários riscos que a criançada corre em casa. Cozinha e área de serviço são os "ambiente vilões". Além do fogão e do botijão de gás, que podem gerar queimaduras graves, as crianças costumam se machucar com objetos cortantes, como facas e até utensílios de vidro, que se quebram com facilidade.

Já, na área de serviço, baldes de água podem provocar afogamentos. E os coloridos produtos de limpeza costumam ser confundidos com sucos e refrigerantes, gerando intoxicações graves quando ingeridos.

Espalhados pela casa, tomadas descobertas, móveis pontiagudos ou de vidro, remédios em locais acessíveis e escadas são outros perigos às vezes que passam despercebidos. "Felizmente é possível encontrar no mercado uma série de acessórios para tornar a casa mais segura, como protetores de quina e tomadas, portas de restrição para escadas, entre outros", afirma Maksoud.

Para quem vai viajar com a criançada, atenção redobrada em relação às cadeirinhas ou assento de elevação. Quando for escolher o modelo observe se ele tem o selo do INMETRO, ele é obrigatório.

leia também


"Se os pequenos não estiverem restritos às cadeirinhas podem se chocar com o pára-brisa, os bancos e as janelas, causando lesões internas graves. Em mais de 50% dos casos, a cabeça e o cérebro são lesionados em crianças vitimas de acidentes", explica o cirurgião. A Ong “Criança Segura” elaborou um guia especial sobre transporte de crianças, com as melhores medidas de segurança conforme o peso e idade da criança. Certifique-se sobre as condições do carro e passe suas férias tranquialmente, sem imprevistos.

Por Juliana Lopes

Comente

Assuntos relacionados: filhos crianças acidentes domésticos