Férias: diversão e quebra de rotina... na escola!

Férias diversão e quebra de rotina na escola

Nem sempre as férias das crianças coincidem com as dos pais. E quando chega o mês de julho fica sempre a dúvida: o que fazer neste período para entreter os filhos? A fim de solucionar este problema, algumas escolas têm proposto cursos e uma programação diferenciada, incluindo culinária, brincadeiras e muita diversão.

Maria Rocha, diretora pedagógica do colégio Ápice, em São Paulo, explica que já faz algum tempo que as mulheres estão cada vez mais inseridas no mercado de trabalho. Antes, quando exerciam atividades fora do lar, davam preferência às profissões com horários reduzidos, de meio período ou flexíveis, que lhes permitiam conciliar a educação dos filhos. "Hoje, até mesmo os avós, com quem as crianças ficavam antigamente, estão na ativa. Por isso, tal serviço se torna tão necessário".

Flávia Cunha, coordenadora pedagógica da Escola Manacá, em São Paulo, explica que a ideia de montar um curso de férias surgiu a partir da alta demanda dos pais, que, muitas vezes, não tinham onde deixar os filhos durante as férias escolares. "Observamos que a procura dos pais de alunos menores, entre um e três anos, é grande. Acredito que seja mais difícil deixá-los com desconhecidos nesse período", acrescenta.

A diretora do Ápice lembra que a criança é um ser social e precisa da companhia de pessoas da mesma idade que ela, mas nem sempre as famílias podem dar a oportunidade para que elas brinquem com a supervisão de um adulto, seja no prédio, clube ou na rua. "Por falta de opção, ela acaba assistindo à TV e fica envolvida em jogos eletrônicos por mais tempo e isso é prejudicial. Os pequenos têm muita energia e, sem as atividades que os ajudem a gastá-la adequadamente, mostram-se irritados e inquietos. O ideal é ter um espaço para correr e fazer atividades diversificadas".

Muito diferente do que acontece durante o ano letivo, as férias na escola disponibilizam atividades recreativas, sempre supervisionadas por profissionais experientes. Na escola, a criança já esta inserida em seu círculo social e, por isso, ela sempre encontra os amigos para brincar. "Elas adoram! A rotina é bem diferente da realizada no período de aula. Programamos brincadeiras, atividades de culinária, artes, jogos. Elas ficam brincando com os amigos, só que num lugar seguro", comenta Flávia.

A diretora Maria Rocha conta que, nas atividades do inverno, as crianças fazem fondue de frutas com chocolate, montam um cineminha com pipoca, fazem a festa do pijama e da pantufa. Já nas férias de verão, elas aproveitam o dia do sorvete, fazem brincadeiras com água e pic nic ao ar livre.

"Quanto às brincadeiras, sempre organizamos jogos não competitivos, rodas de histórias e as aulas de culinária. Este ano o tema das férias é ‘brinquedos e brincadeiras’. Vamos resgatar jogos da cultura popular, como queimada, pique-bandeira, cabo-de-guerra, esconde-esconde, amarelinha, passa-anel. Vamos também propor às crianças que produzam brinquedos usando sucatas, valorizando, assim, as ações sustentáveis", revela Maria sobre a programação desenvolvida.


Nos finais de semana em que os filhos estão em casa é importante lembrar aos pais que esse é o momento de aproveitar a convivência, levando-os a lugares diferentes, programando uma viagem curta, almoçando em restaurantes e reunindo os amiguinhos em casa. Afinal, eles já estudaram, já fizeram as provas... agora merecem férias!

Por Carolina Pain (MBPress)

Comente