"Estou namorando". Como os pais devem reagir a notícia?

Estou namorando Como os pais devem reagir a notíci

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Por mais liberais e modernos que os pais pareçam, na hora em que os filhos dizem que querem namorar, o susto e a preocupação tomam conta dos pais, que não sabem exatamente como agir. Proibir não é a melhor pedida, mas então como encarar que seu "bebê" cresceu, se tornou adolescente e se interessa por algo mais do que só os estudos e os antigos brinquedos?

Segundo a pscicóloga Cybele Micai, os pais devem reagir com naturalidade quando receberem a notícia, já que a situação é muito normal na adolescência. "É importante os pais já irem conversando e preparando-se para essa notícia (por mais que os pais sempre achem que os filhos terão 5 anos eternamente) e não serem pegos despreparados quando a notícia vier", argumenta.

É unânime, as maiores preocupações dos pais são o início da vida sexual, o sofrimento com a dor de amor e a alienação do adolescente, que, muitas vezes, ao iniciar um namoro, esquece do restante. Nesta hora, o primordial é que os pais não criem expectativas - positivas ou negativas - além do que os filhos estão realmente vivendo.

"A fase é cheia de descobertas, novidades e oscilações de humor e desejos, então não é preciso cobrar ou exigir durabilidade para a relação. Porém, é responsabilidade dos pais de ambos imporem as limitações e regras da relação, conversando com os filhos e namorados para tê-los sempre próximo, valorizando o aspecto familiar na relação", salienta a especialista.

A corretora de imóveis Rita Oliveira tomou um susto quando a filha de 12 anos disse que queria namorar um menino. A primeira reação foi dizer que não, depois, resolveu conversar. "Para mim namorar é beijar na boca, ficar se agarrando etc, mas na conversa descobri que ela queria ter um namorico. Acho que ficamos mais ansiosas que nossas filhas e corremos o risco de atropelar as coisas", observa. "Hoje conheço o menino, não fico incentivando, levo com naturalidade, mas as regras continuam, ela não vai a lugar nenhum sem que eu, o pai ou o padrasto levemos ou busquemos."

Já a dona de casa Simone Limeres Ferreira simplesmente enlouqueceu de ciúmes ao saber que o filho de 14 anos queria namorar. Ela e o marido proibiram, pois acreditavam que o namoro atrapalharia os projetos de vida do garoto naquele momento. Resultado: ele continuou namorando escondido e se isolou da família, ficando disperso e arisco por não contar com o apoio dos pais.

O relacionamento acabou por conta da imaturidade dos dois, mas a mãe aprendeu uma lição. "Só sei que nessa situação fui obrigada a ver que nós realmente criamos nossos filhos para o mundo e pude sentir um pouco o que minha mãe sentiu quando ela passou por isso", argumenta Simone.


De acordo com a psicóloga, o mais importante é manter um diálogo aberto com os adolescentes, mesmo antes de começarem a namorar. É preciso sempre falar sobre sexo, como prevenir doenças sexualmente transmissíveis, vida profissional, o futuro, sobre as responsabilidades da vida adulta que está por vir.

Por Carmem Sanches

Comente