Estimule a leitura de seus filhos

Estimule a leitura de seus filhos

O escritor de fábulas infantil Jean de La Fontaine já dizia, "se quiser falar ao coração do homem, há que se contar uma história. Dessas que não faltam animais, ou deuses e muita fantasia. Porque é assim, suave e docemente que se despertam consciências".

Segundo a professora Ana Blandina, especializada em alfabetização infantil, o estímulo criado por meio do contato tátil e visual dos livros é muito importante para a alfabetização. "Com os livros você estimula o interesse pela escrita e auxilia na alfabetização sem aquela coisa formal, da obrigação de sentar ali na cadeira e ficar repetindo tudo que é falado".

"Estimular a criatividade da criança pequena é muito bom. Assim, ela poderá criar dentro do seu mundinho um ponto de reconhecimento com o mundo real e letrado dos pais, avós e professores, que são pessoas que elas admiram", afirma Ana.

Hoje podemos encontrar livros plastificados, com desenhos grandes e coloridos, que irão incentivar a sensibilidade tátil, visual, além da concentração. Todos esses estímulos farão a criança a ter prazer ao adquirir conhecimento.

A professora ainda explica que a melhor forma dos pais despertarem o interesse dos pequenos pela literatura é participando dessa descoberta junto com eles. "Sente junto com seus filhos, conte as histórias com a riqueza de detalhes que possuem, assim com o passar do tempo elas começarão a fantasiar e a imaginar as cenas das histórias contadas", expõe.

O escritor, desenhista e cartunista Ziraldo, sempre que tem a oportunidade também expõe sua opinião sobre a importância da leitura na fase infantil. Para ele, ler é muito mais importante que estudar. Afinal, como pode uma pessoa, sem saber ler o suficiente para entender o que lê e sem saber escrever para expressar-se inteiramente, estudar?

"A criança que lê tem uma facilidade maior de se comunicar com o mundo, o contato com a informação também faz com que ao ser estimulada ela responda muito mais rápido, tanto na parte educacional como em situações do dia-a-dia", observa a professora.

"Uma criança de dez anos que lê como quem respira, que gosta de ler, que lê como quem está usando mais um, além dos seus cinco sentidos, estará preparada pra receber toda a informação de que vai necessitar para enfrentar a vida" declara o cartunista Ziraldo.

A incorporação da literatura na vida da criança vai provavelmente auxiliar durante toda sua vida acadêmica e particular. Ela saberá exteriorizar melhor seus pensamentos, além de ter um poder de concentração maior do que aquela que não teve esse estímulo. Afinal, quem tem o gosto de ler é bem informada, sabe falar e se expressar melhor.

"Os pais devem dar preferência aos livros bem escritos, com uma boa história, que tenham riqueza de detalhes para estimular a imaginação e criatividade da criança" ressalta Ana Blandina.

Dicas de livros para seus filhos

Se você olha nas prateleiras das livrarias e não sabe qual o melhor livro para dar ao seu filho, abaixo separamos uns títulos bem legais.

Crianças com idade entre 1 e 2 anos, elas não se interessam muito com o conteúdo. O ideal, são livros de madeira ou borracha, com uma figura bem atrativa e colorida em cada página. Os livros que contém fantoches ou criam forma do objeto descrito também são muito bons para incentivar a criatividade e atenção dos bêbes.

Entre 2 e 3 anos, elas preferem histórias com poucos personagens e uma trama bem fácil. Aqui o que irá exercer fascínio sobre a criança é a forma como a história é contada, se a entonação das palavras estão condizendo com os acontecimentos.

Quando maiorzinhas, entre 3 e 6 anos, elas se prendem mais as histórias fantasiosas com muitos detalhes e seres encantados. Essa é a fase do "conta de novo mãe!". Pois as crianças gostam de escutar aqueles contos, mas também se sentem atraídas pela segurança de já conhecer o que irá acontecer com os personagens.

Uma boa dica de leitura, são os tradicionais contos de fada como "O patinho feio" ou "Os três porquinhos" indicados para as crianças entre 3 e 4 anos. Já as histórias que possuem uma complexidade maior como "Chapeuzinho Vermelho", "O Soldadinho de Chumbo" ou "João e Maria" são mais adequados a crianças de 4 a 6 anos.

Crianças entre 6 e 7 anos gostam de textos curtos e gravuras grandes que integrem-se ao texto. Uma boa dica pode ser os títulos da autora Liliana Iacocca, todos com uma linguagem bem didática, a maioria abordando temas como meio-ambiente e cidadania.


Comente

Assuntos relacionados: leitura alfabetização