Entendendo mães

Entendendo mães

Uma das virtudes das pessoas e das empresas em geral, em minha visão, é o dom de entender os outros. É tão bom quando sentimos que uma outra pessoa, empresa ou marca nos conhece bem e sabe como nos agradar! Pena que não seja sempre assim…

Lendo uma revista americana, deste mês, me deparei com esse anúncio - imagem abaixo - e quase tive um troço, literalmente. Tive a exata certeza de que a empresa que lançou esse "livro" não entende NADA de mães, não sabe o que passa na cabeça e muito menos o que passa pelo coração de uma mãe. Explico melhor: eles lançaram esse produto, "Recordable Storybook", que nada mais é do que um livro infantil que grava a voz da mãe quando ela lê a história para o filho. No dia seguinte, com a mãe fora (provavelmente trabalhando), o livro pode "ler" o livro ouvindo a narração da mãe. O anúncio diz: "A cada página virada, eles ouvirão a sua voz!", e continua, "Leia para os que você ama, mesmo que você não possa estar lá!".

O produto, através dessa mensagem, é como se nos dissesse: "sua mãe ausente, já que você não está aqui porque está trabalhando fora, nós cobrimos sua ausência". É o fim do mundo.

Meu Deus! É uma falta de sensibilidade absurda, é a transformação da mãe em áudio, é a "mobile mom" ou algo parecido. O gostoso de contar e ouvir histórias é a troca que acontece entre mãe e filho naquele momento. Ficar aconchegados, um do lado do outro, sentir o arzinho de nosso filho respirando, ele vendo em nossos olhos o prazer daquele momento mágico. Enfim, estar junto, de verdade, é o que conta. No fundo, a história é o de menos, é quase um pretexto para unir mãe e filho.

Também inacreditável é que ele foi lançado por uma empresa que, na minha opinião, entende muito da relação entre pessoas - a Hallmark. Foi um descuido ou então uma radicalização do significado da vida virtual contemporânea.

Entendendo mães

Foto: reprodução


Vejo o quanto ainda algumas empresas ficam devendo no quesito compreender pessoas para melhor atendê-las. Mas o lado bom disso é: mães unidas, vamos seguir lendo muitas histórias para nossos filhos, mesmo que às 10 da noite e algumas vezes dormindo antes deles. Mesmo assim vale a pena! Concordam?

Cecília Russo Troiano é psicóloga, sócia-diretora da Troiano Consultoria de Marca e autora do livro "Vida de Equilibrista". Casada e mãe de 2 filhos, ela afirma que é mãe equilibrista, vive sua vida tentando equilibrar "pratinhos". Email - cecilia@troiano.com.br Venda do seu livro pelo site www.vidadeequilibrista.com.br

Comente