Educação financeira para crianças

Educação financeira para crianças

Divulgação

Educar adultos financeiramente já é bem difícil. Imagine crianças! Você já ficou sem graça quando seu filho ou filha pediu um brinquedo muito caro de presente, precisou dizer que não poderia comprar e ele ou ela "deu piti", esperneou ou parou de conversar com você por algum tempo? Com certeza, foi uma sensação ruim. Mas como ajudar os filhos a entender o valor do dinheiro sem complicações?

"O segredo é atrair a curiosidade das crianças", diz Reinaldo Domingos, educador e consultor financeiro. Ele lançou recentemente o audiolivro "O menino do dinheiro" (Nossa Cultura, 2010), que conta a história de um garotinho que aprende a conquistar doces e brinquedos poupando valores.

O menino é filho do Sr. Desprevenido, um ferroviário, e de Dona Previdência, que vende bijuterias e perfumes de casa em casa, levando o filho. Na volta para o lar, a criança sempre pedia que a mãe comprasse balas e picolés, mas só ganhava um dos itens e não entendia o porquê.

Em seu aniversário de quatro anos, o garoto ganhou um cofrinho de presente. Dona Previdência ensinou que ele devia guardar ali as moedas que recebesse durante um ano. No aniversário de cinco anos, o cofre foi quebrado e o filho percebeu que podia comprar um saco de balas, dois picolés e ainda guardar dinheiro. Ele ganhou um novo cofrinho de presente e continuou poupando.

Mais tarde, o menino entra na escola e conhece o professor Reimoney, que ensina a metodologia DiSOP (Diagnosticar, Sonhar, Orçar e Poupar). A história segue, orientando as crianças de forma lúdica e simples. Assim, elas entendem que podem alcançar um sonho se aprenderem a guardar um pouquinho da mesada todo mês, por exemplo.

Além das crianças, os pais também podem aplicar a metodologia DiSOP, mas o educador sugere que os adultos leiam seu outro título, "Terapia Financeira" (Nossa Cultura, 2009).

O consultor financeiro explica ainda a importância de educar as crianças financeiramente. "Nós viemos de gerações de pessoas e famílias endividadas e precisamos criar uma geração de indivíduos educados e independentes financeiramente". Para ele, a transformação dos hábitos e costumes é essencial na vitória contra o desequilíbrio financeiro, e os meninos e meninas já podem começar a vida financeira da maneira correta.

"O menino do dinheiro" já foi adotado por várias escolas como livro paradidático. Para conhecer melhor esse trabalho, você pode acessar: www.disop.com.br.

Para quem ficou curioso sobre o método DiSOP, aí vai uma breve explicação do autor:

Di = Diagnosticar. Nesse primeiro passo, a pessoa deve apontar as despesas diárias, especialmente as menores, pois são os menores valores que produzem o desequilíbrio financeiro nas casas. Diga para seu filho anotar se ele comprou balas, figurinhas...

S = Sonhar. Ninguém vive sem sonho, porque é isso que nos move a realizar. O sonho tem que ter um valor e é necessário definir se ele será conquistado a curto, médio ou longo prazo. A curto prazo, o pequeno pode ter uma bola, por exemplo.

O = Orçar. Nesta etapa, é preciso subtrair o valor a ser gasto com o sonho da renda total e planejar redução de gastos para que o sonho seja adquirido. Ajude a criança a fazer as contas e mostre o quanto sobra para outras coisas.


P = Poupar. Separar um valor todo mês para a realização do sonho. Essa pode ser a parte mais difícil.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente