Educação financeira desde pequenos

Educação financeira desde pequenos

Orientar as crianças sobre como lidar com dinheiro é um dos deveres dos pais. Nesta época do ano os pequenos ficam inquietos, querem brinquedos e aparelhos eletrônicos, mas muitas vezes eles não têm ideia do quanto estes mimos custam. Este pode ser o momento ideal para você começar a orientá-los sobre finanças.

Silvia Alambert, educadora financeira e detentora da metodologia The MoneyCamp, diz que a partir dos três anos de idade as crianças já entendem o valor de troca que o dinheiro possui, é nesse momento que se deve dar início a educação financeira. É preciso ter cautela para não assustar a criança. "Os pais devem iniciar o tema de forma simples, com os assuntos financeiros da rotina da família e em doses homeopáticas: um pouco por dia, todos os dias um pouco", explica.

O The MoneyCamp é um método que visa ensinar crianças e jovens a lidar com dinheiro. O aprendizado é feito com auxílio de jogos e de maneira bem interativa. "As crianças aprendem do jeito que elas mais gostam: brincando", diz a educadora sobre a importância do método para os pequenos. Os pais podem começar a passar este aprendizado através de livros como "Pé de Meia Mágico"e "O Poço dos Desejos" do autor Álvaro Modernell, que abordam este tema e discutindo o assunto com os filhos, sempre de maneira descontraída. Alambert também recomenda jogos como "Banco imobiliário" e "O jogo da vida".

Caso você não tenha como disponibilizar uma mesada para o seu baby, a educadora mostra a solução: "Ter conversas francas e abertas sobre o que é o dinheiro, de onde vem, como vem, para onde vai e mostrar na rotina do dia a dia, como circula o dinheiro, como funciona o cartão de crédito, de débito, o cheque, pode ajudar. A melhor forma é conversar com calma e tranquilidade, mostrando que há muito mais a fazer com o dinheiro do que somente gastá-lo".

Uma das regras criadas no The MoneyCamp diz respeito a participação nas atividades domésticas, como planejamentos financeiros para as realizações de sonhos comuns à toda família. É importante ressaltar que a mesada nunca deve servir como recompensa, seu filho deve ajudar nas tarefas de casa sem esperar receber dinheiro como recompensa. Se isto ocorrer ele poderá se negar a ajudar se não estiver precisando de dinheiro e você perderá a autoridade de educador.

Os filhos têm nos pais o exemplo a ser seguido, por isto é importante que você mostre a eles que consegue por em prática aquilo que sugere que eles façam. Por exemplo, só gaste dinheiro depois que você já o recebeu. Evite cartões de créditos ou cheques. Façam com que eles notem que dinheiro é só o meio para se chegar à felicidade, não a própria. Também é bom ressaltar que não importa a quantia a ser administrada, quem não sabe gerir pequenas quantidades não saberá lidar com valores altos.

O The MoneyCamp trabalha com a perspectiva de que os adultos não devem interferir na maneira como a mesada será gasta. Mostre-se disposto a ajudar e orientar sobre o que fazer com o dinheiro, mas nunca decida por ele. Se o seu filho quiser gastar todo dinheiro em um único brinquedo, deixe. Não se comova se ele lamentar que ficou sem verba. Saber lidar com frustrações faz parte da lição. É na juventude que se deve permitir errar, eles terão tempo para corrigir as falhas.


Mais dicas de Silvia Alambert

- Permita que seu filho gaste somente 50% do dinheiro que lhe é dado, ensine-o a poupar

- Converse com ele sobre investimentos em ações. Ensine-o a fazer o dinheiro render

- Investir em coisas que perdem o valor rapidamente (celular de última geração) não é inteligente, ainda mais em 10 x no cartão

- Ofereça mesadas semanais, o tempo para as crianças parece maior do que para um adulto

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente