Curso de costura para crianças?

Curso de costura para crianças

Foto: divulgação

A empresaria e designer Fernanda Egydio teve uma ideia que surpreendeu muitas mães. Criou a Love Blankie, uma escola de costura para crianças, a partir dos cinco anos. A intenção é que as meninas tenham um espaço para criar peças exclusivas, usando máquina de costura infantil, que tem uma velocidade mais reduzida.

As crianças participam de cada etapa do processo, escolhem o tecido e os acessórios que vão utilizar na produção das peças. "Consciente do risco que costurar oferece, com ferro de passar roupa, máquina de costura, tesouras, agulhas e alfinetes, sempre tem um adulto acompanhando a criança", garante a proprietária do ateliê.

As aulas podem ser individuais ou em grupo de até quatro crianças. Há a possibilidade de fechar uma turminha de amigas ou irmãs, por exemplo. O espaço "Costurando com as amigas" é o local onde as amigas passam um tempo juntas. Lá elas costuram, conversam e fazem um lanchinho especial.

As principais peças que as meninas produzem são saias, bolsas, vestidos e almofadas. As mães também podem participar da brincadeira. "As mães podem costurar algo junto com a filha como, por exemplo, uma colcha de patchwork e ser uma linda lembrança", indica.

Além de alegrar as crianças, permitindo que elas produzam suas peças exclusivas, as aulas ajudam a aumentar a concentração das pequenas. Também auxilia no desenvolvimento da coordenação motora fina, concentração, raciocínio lógico, desenvolve a criatividade, organização e auto-estima. "Ainda ajuda na socialização e aproxima as pessoas da família, já que o aluno muitas vezes pede para costurar algo para presentear a mãe, a avó, o pai ou os irmãos", orgulha-se Fernanda.

Curso de costura para crianças

Foto: divulgação


A mensalidade sai por R$ 400,00, por aluna, as aulas são semanais, com duração de uma hora. As crianças recebem todos os materiais que serão necessários, em uma cesta personalizada. O período é programado para que as crianças realizem um projeto por dia. A ideia é boa, que tal colocar a máquina da vovó de volta à ativa!

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente