Cuidados com a pele das crianças no verão

pele das crianças

Foto: moodboard/Corbis

No Brasil, o verão é disparado a estação mais aguardada do ano. No entanto, é preciso redobrar a atenção com a pele das crianças, que são mais sensíveis ao sol e alergias.

Durante o primeiro ano de vida, a produção de melanina, substância que absorve a luz e protege a derme da ação da radiação, não é plena. Por isso, crianças pequenas não têm condições físicas de ficar expostas ao sol por períodos que não sejam curtíssimos.

Outro detalhe muito importante refere-se ao horário de ir à praia ou frequentar a piscina. Com crianças, e até para os adultos, prefira os horários em que o sol está baixo, antes das 10 h ou depois das 16 h. Nesse período, é necessário repor a cada duas horas o protetor com FPS 30 - acima disso, eles ficam quimicamente mais fortes e o efeito não é tão maior a ponto de compensar o uso.

Se a criança entrar na água, é preciso enxugá-la e aplicá-lo de novo, imediatamente. Outro cuidado é com a quantidade: não basta usar pouco e espalhar bem. O ideal é 2 ml do produto por cm² do corpo, traduzindo: um frasco não dura mais do que dois dias para uma família de quatro pessoas. Crianças a partir de seis meses estão liberadas para usá-lo.

E no caso das alergias, bastante comuns no verão?

As picadas de insetos e o aparecimento de brotoejas são as queixas mais comuns nos consultórios dermatológicos durante o verão. A primeira recomendação contra insetos é proteger as crianças com roupas que cubram braços e pernas - tática incompatível para quem mora em países tropicais.

A partir do sexto mês, converse com o médico sobre o uso de um repelente específico para crianças e aplique-o nas áreas de maior exposição no máximo duas vezes ao dia. Isso porque o uso excessivo pode causar intoxicação. Evite passá-lo no rosto e nas mãos para não correr o risco de ingestão do produto. Tomar vitamina B também funciona, mas algumas erupções, como espinhas, podem aparecer na pele.

Além do repelente, proteja sua casa a partir do início da tarde. Coloque telas nas janelas e não deixe portas abertas. Ventilador e ar-condicionado afastam os insetos, mas velas de citronela funcionam melhor contra moscas do que contra pernilongos e borrachudos.


As brotoejas são mais comuns no verão. A criança sua mais e as glândulas podem inflamar. Além do tratamento com loções à base de hidróxido de alumínio ou calamina pura, você deve refrescar seu filho com compressas frias e roupas frescas. Cuidado com medicamentos usados para tratar dermatites na região das fraldas. Como a área é úmida, a absorção de remédios também é maior. Se você usar errado ou sem prescrição médica, pode causar intoxicação.

Confira outras dicas

  • Os mosqueteiros usados em casa precisam ser higienizados com frequência para não acumularem pó
  • Se usar aparelhos de tomada contra os mosquitos, ligue-os quando a criança não estiver no quarto e desligue-os quando ela for dormir
  • Tente fugir de hotéis e pousadas à beira-rio, à beira-mar ou próximos de mata fechada
  • As crianças que têm reações alérgicas graves podem usar, a partir de dois meses, um medicamento específico que tem eficácia de uma semana. Só o médico pode indicá-lo.

Por Natália Farah

Comente