Saiba por que não devemos rotular os filhos

Rotular uma criança pode interferir diretamente na formação dela
educação filhos

Foto - Shutterstock

Adultos têm costume de rotular crianças dando até apelidos fofos com isso. Que mãe nunca disse que o filho era educado, carinhoso, levado, etc. E essa rotulação pode não ser tão benéfica para crianças, sabia?

A infância é a fase de formação de identidade da criança, ela decide e descobre quem é. Quando a rotulamos, influenciamos nesse processo e ela pode até se confundir. E pior, a confusão é maior quando o rótulo vem da mãe, pois a opinião dela é a que de fato conta para os pequenos.

"A criança que é sempre rotulada às vezes começa a achar que é interessante exercer aquele título que é colocado pra ela. E aí você não altera a experiência de viver. É importante que não se coloque rótulos como 'ela é brava', 'ela é gorda', etc. Ela está assim naquele período. É importante colocar uma data, então "neste período você está desobediente", para que ela aprenda a diferença de ser e estar", conta Susana Orio, psicóloga, Coordenadora Educacional no Colégio Madre Alix, em São Paulo. 

Como a opinião da mãe é de extrema importância para a criança, tudo que ela vai ouvir a mãe falar, será tomado como verdade. E aí que mora o conflito, pois pode ser que ela não se sinta confortável em relação a isso. O ideal é que os pais, em especial a mãe, não faça generalizações e aponte diferenças. 

"O rótulo às vezes vai passando de geração pra geração, porque os pais falam 'ai, eu era assim. Os pais às vezes se veem nas crianças e falam que eram assim. Lógico que há um histórico cultural e familiar que você vai projetando no seu filho, antes mesmo dele nascer, mas nesse tipo de coisa não pode ser colocado de uma forma que a criança não desenvolva sua própria identidade", explica a especialista.

Depois que o rótulo foi colocado, ele leva tempo para desaparecer. Os pais devem prestar atenção em outras qualidades dos filhos para exaltá-la. Por exemplo, se a criança foi rotulada como  preguiçosa, pois só gosta de jogar videogame, exalte o fato dela, talvez, ser craque no assunto. Em casos mais graves, às vezes é indicado procurar apoio de profissionais.


Comente