Crianças: tudo a seu tempo

Crianças tudo a seu tempo

Eles são pequenos mas, influenciados pelos meios de comunicação, logo aos 4 ou 5 anos começam a demonstrar atitudes inadequadas para suas idades, fazendo caras e bocas sensuais, utilizando um vocabulário pra lá de apimentado e vestindo roupas provocantes. Quem acha uma gracinha é melhor conter o riso. Além de antecipar a sexualidade nos pequenos, o comportamento “avançado” de meninos e meninas pode colocá-los e risco.

Segundo a psicoterapeuta familiar e coordenadora de grupos de casais grávidos, Natércia Tiba, a demonstração de sensualidade por parte de crianças pequenas não reflete de fato a intenção de erotismo vista pelos pais e parentes. “Na verdade, eles estão copiando modelos da TV, como fariam com os super-heróis ou princesas. Mas o contato com esse tipo de informação ocorre cada vez mais cedo e não deve ser estimulado pelos adultos”. Segundo Dra. Natércia, cabe aos pais conversar com os filhos. “É preciso explicar que determinadas roupas e atitudes não ficam bem para eles. Mas que existem inúmeras opções bonitas e próprias para cada idade”.

Incentivar o comportamento inadequado, segundo a psicoterapeuta, acaba fazendo com que as crianças vivam o período de sexualidade antes da hora certa. “Hoje em dia vemos meninas que nem mesmo começaram a desenvolver os seios e já usam sutiãs com enchimento. Outras que ainda nem ficaram menstruadas pela primeira vez e já conversam muito sobre sexo. Com isso, a atividade sexual pode se desenvolver antecipadamente”.

E não tem jeito. Para prevenir o problema, os pais precisam estar presentes. “Mães que trabalham fora e ficam muitas horas ausentes devem se questionar se o salário que recebem compensa o alto preço pago pela sua ausência”, diz Dra. Natércia. “Há muitas oportunidades de educar os filhos a partir do momento em que vivenciamos com eles determinadas situações. Por exemplo: assistindo junto com eles aos programas de TV podemos ensinar no exato momento os comportamentos que não devem ser imitados”.

Leia também - Feng shui em quarto de crianças

Por Adriana Cocco

Comente