Crianças também são influenciadas por amiguinhos

Crianças também são influenciadas por amiguinhos

Adultos mudam de opinião por conta de influência de grupos sociais, mas isso não é exclusividade nossa. As crianças também podem mudar de opinião por conta do que os amiguinhos acham, segundo uma pesquisa realizada pelo Max Planck Institute for Evolutionary Anthoropology, na Alemanha.

Aos 4 anos os pequenos já podem ceder as pressões do círculo social. A informação é de uma pesquisa que analisou 96 crianças. O foco é a maneira como elas lidavam com as opiniões dos amigos, e isso têm papel fundamental no comportamento. Adquirimos um comportamento observando o comportamento de membros de um determinado grupo. Mas quando uma informação confronta a informação que temos, baseadas em nossas crenças e preferências, muitas vezes sucumbimos ao ponto de vista de uma maioria.

Daniel Haun, do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva e do MPI de Psicolingüística e Tomasello Michael do MPI para Antropologia Evolucionária, analisou como os pré-escolares agem diante da aquisição de informações de seus pares. "Queríamos saber se crianças pré-escolares mudam o seu parecer para a maioria, mesmo que este último esteja claramente em conflito com seu próprio ponto de vista", disse.

A primeira parte do estudo pesquisou grupos de quatro filhos cada um. As crianças receberam livros aparentemente idênticos incluindo 30 páginas duplas com ilustrações de famílias de animais. Na página esquerda foram pai, mãe e filho juntos. As crianças foram convidadas a identificar o membro da família, à direita. No entanto as crianças acreditavam que todos os livros eram iguais.

Mas, apenas três dos quatro livros eram realmente idênticos, o quarto trazia a foto de um membro da família diferente na página direita. As crianças que foram confrontadas em seu ponto de vista acabaram sucumbindo a opinião da maioria. "18 entre 24 crianças mudaram sua opinião pelo menos uma vez, mesmo sabendo que a resposta da maioria era falsa para si.

Em um segundo estudo, os pesquisadores investigaram o que motivou as crianças a realizarem a troca de opinião. De 18 crianças, 12 foram pela opinião da maioria pelo menos uma vez, principalmente quando tinham que dizer a resposta em voz alta. Entre o que apontaram a resposta certa silenciosamente 8 dos 18 filhos acompanharam a resposta da maioria.


Isso indica, segundo os pesquisadores, que o acordo tem razões sociais como por exemplo, evitar conflitos com seus companheiros.

Por Catharina Apolinário

Comente