Crianças e química no cabelo

Crianças e química no cabelo

Cada vez mais cedo as meninas estão buscando tratamentos para os cabelos com o objetivo de deixá-los lisos ou mudar a cor dos fios, mas saiba que começar muito cedo pode trazer problemas até para a saúde da criança. A Hair Stylist Lílian Souza, do salão Quality Hair, em São Paulo, explica que além dos problemas no fio de cabelo, podem ocorrer problemas alérgicos ou de pele a partir do contato com o couro cabeludo.

“Um processo mal executado pode trazer sérios danos ao couro cabeludo como, por exemplo, feridas que podem levar a queda de cabelo em determinados pontos. Dependendo da agressividade da química, pode chegar a necrosar esses pontos onde apareceram feridas, assim não nascendo mais cabelos nesses lugares. Já nos fios, podem causar buracos que vão se formando no comprimento. Imagine o fio como se fosse um canudo, e depois que esse canudo passar por processos químicos errados, estourasse em determinados pontos.”

A prova de que as crianças não podem se submeter a certos tipos de tratamento são as versões infantis de shampoo. “Os shampoos destinam-se a limpeza e não podem ser irritante ao couro cabeludo e aos olhos das crianças, por isso o seu pH deve estar entre 7,0 e 8,5. Já para adultos, o pH do shampoo fica em torno de 5,0.”

A troca para shampoos de adulto deve ser feita somente a partir de oito anos, porém a hair stylist explica que o ideal é começar com o uso de shampoos para cabelos normais. “Os fios ainda estão totalmente selados, não havendo necessidade de substâncias mais fortes.”

Crianças e química no cabelo

Hair Stylist Lílian Souza. Foto: divulgação.

Ainda na busca pelo liso perfeito, cada vez mais cedo as meninas começam a usar a chapinha. De acordo com Lílian é importante esperar até os 10 anos para começar o uso, mas muita gente começa antes o que causa diversos malefícios aos cabelos.

O uso freqüente danifica os fios que devem ser hidratados sempre, porém depois de um tempo só a hidratação pode não resolver. “Dependendo do estado em que se encontrem os fios, temos que repor queratina. Quando os fios estão estourando podemos intercalar, cauterização e hidratação, um repõe massa e o outro líquido, como se estivéssemos tapando alguns buraquinhos que surgem nas paredes.”


O ideal é que as mães tentem ao máximo retardar o uso de procedimentos agressivos no cabelo das crianças, por isso fica a dica da profissional: “O melhor é evitar precipitações e aguardar o tempo necessário para estes procedimentos, pois tudo tem seu tempo e idade.”

Por Larissa Alvarez

Comente

Assuntos relacionados: chapinha cabelo meninas química lilian souza