Copa 2014 vai mudar o ano escolar

copa2014

Foto: Oliver Rossi/Corbis

A Copa 2014 acontece entre junho e julho do próximo ano aqui no Brasil. E por conta do evento, o ano escolar poderá sofrer mudanças. De acordo com a Lei Geral da Copa as escolas das 12 cidades-sede devem suspender as atividades letivas durante o período da competição, só que é bem provável que todas as unidades também mudem o calendário. Com isso, as aulas em 2014 devem começar mais cedo, ou terminar mais tarde, e as férias serem antecipadas para meados de junho.

A medida não altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que determina que o período mínimo de atividades letivas seja de 800 horas anuais distribuídas em, no mínimo, 200 dias. O parecer da Câmara de Educação Básica, do Conselho Nacional de Educação (CNE), foi homologado no dia 19 de março de 2013 e publicado pelo Ministério da Educação no Diário Oficial da União.

Cada escola terá a liberdade de decidir como adequar as suas aulas por conta do evento esportivo, isto é, se as aulas vão começar em Janeiro ou vão se estender até Dezembro. Em Brasília, por exemplo, uma das cidades-sede da Copa, o ano letivo será estendido. Ele começará no dia 05 de fevereiro e terminará no dia 22 de dezembro. O recesso escolar de 2014 será entre os dias 12 de junho e 13 de julho. O calendário foi publicado no dia 05 de agosto no Diário Oficial do DF.

Segundo a psicopedagoga Quézia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, as regras provavelmente serão adotadas pelas escolas de todo o país, e não só nas que sediarão a Copa 2014. Por isso, é importante que as instituições se planejem para esses ajustes no ano letivo.

"A mudança tem prós e contras. Durante a copa, os alunos ficam realmente muito dispersos e descompromissados com o progresso escolar, favorecendo a mudança de calendário. Por outro lado, algumas famílias sentirão que suas férias estarão sendo prejudicadas por um gosto generalizado. Afinal de contas, tem gente que não gosta de futebol."


Diante da possível mudança, as famílias devem, desde já, programar as férias para que estas não coincidam com a volta às aulas. Outra tarefa importante é organizar antecipadamente os materiais escolares. Neste caso, cabem às escolas que vão modificar o ano letivo em 2014 entregar antecipadamente a lista de materiais para os pais fazerem as devidas pesquisas.

"É preciso ver o que o aluno está realmente precisando (o que é importante e o que é supérfluo) e ver o que pode ser reaproveitado do ano anterior. Os pais devem fazer o preparo do material escolar e incluir a criança nesse processo, mas sem a questão do consumismo: ‘eu quero tal caderno, eu quero ‘aquilo’. A compra dos itens deve levar em consideração também as questões financeiras da família", orienta Quezia.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente